O antigo ministro da Defesa da Coreia do Norte, Kim Yong-chun, um dos militares mais influentes durante o Governo do falecido líder Kim Jong-il, morreu quinta-feira de um ataque cardíaco aos 82 anos, informou esta sexta-feira a agência estatal KCNA.

Kim Yong-chun, que detinha o título de marechal do Exército Popular da Coreia do Norte desde 2016, fazia atualmente parte do Comité Central do Partido dos Trabalhadores, era membro da Assembleia Popular Suprema (parlamento) e Conselheiro Geral do Ministério da Forças Armadas Populares.

Kim Yong-chun nasceu a 4 de março de 1936 no seio de uma família pobre na província de Ryanggang (norte), no distrito de Pochon, e serviu como comandante sob a liderança do fundador da Coreia do Norte e avô de Kim Jong-un. Entre 1995 e 2007, e sob o mandato do pai do atual líder norte-coreano, desempenhou funções de Chefe de Gabinete, uma posição da qual “fez méritos especiais para defender até a morte o líder Kim Jong-il e estabelecer o sistema de direção única do partido”, segundo a KCNA.

Entre 2007 e 2014, foi vice-presidente da Comissão de Defesa Nacional, cargo que acumulou com o de ministro das Forças Armadas Populares de 2009 a 2012. Durante o seu percurso recebeu várias distinções, incluindo a Ordem de Kim Il-sung, a Ordem de Kim Jong-il e o título de Herói da República.