Madonna esteve presente na cerimónia dos MTV Music Video Awards (VMA), onde prestou uma homenagem à rainha do soul, Aretha Franklin, naquele que foi um dos discursos mais marcantes da noite. Mas a rainha da pop agitou as águas ao utilizar joias e roupas associadas ao povo Amazigh, do norte de África.

Subiu ao palco com uma túnica preta (mas tinha também um quimono em tons de amarelo e laranja) e com adereços coloridos, entre os quais uma fita para a cabeça com pendentes e vários colares de prata, tudo elementos que se podem encontrar nas lojas de Marrocos, onde a cantora celebrou os seus 60 anos na semana passada.

De acordo com a National Public Radio, os críticos de moda condenaram Madonna por apropriação cultural. “É insultuoso as pessoas dizerem: “O que é que ela está a vestir?” e gozarem sem tentarem descobrir mais sobre isso”, afirmou a professora de arte africana e especializada no povo Amazigh, Cynthia Becker, da Universidade de Boston.

A verdade é que Madonna já tinha sido alvo de críticas por parte de alguns fãs quando, na noite anterior ao seu aniversário, publicou uma fotografia no Twitter com a descrição “Celebrando a cultura berbere“, e onde estava a usar a mesma fita na cabeça.

Então a Madonna está a referir-se a ela própria como uma “rainha berbere”? O desrespeito“, escreveu um utilizador da rede social. Houve também quem chamasse a atenção da cantora para o facto de a cultura berbere não ser apenas marroquina.

Segundo o NPR, entre 40 e 60% da população em Marrocos é descendente dos Imazighen (o plural de Amazigh), mas só nas últimas décadas a linguagem e a cultura do povo têm sido promovidas e reconhecidas como oficiais pelo governo, razão pela qual os mercados estão agora repletos de peças idênticas às que Madonna utilizou.

De acordo com Becker, a tradição diz que os homens devem oferecer este tipo de jóias às noivas antes do casamento, as quais as mulheres devem utilizar durante a cerimónia e depois no dia-a-dia como forma de mostrarem que estão casadas — algo que atualmente já está em desuso.

Courtney Stewart, do departamento de Arte Islâmica do Metropolitan Museum of Art, diz que a cor coral, na fita que Madonna está a usar “é, às vezes, associada à feminilidade e fertilidade” e que se acredita que a prata (nos colares) tem propriedades de proteção contra o mau olhado.

Ainda que muitos tenham criticado a sua forma de vestir, Becker afirma que Madonna não está a vestir uma roupa tradicional e que as peças que está a usar “são uma amálgama de estilos de diferentes partes de Marrocos”. Além disso, as jóias que Madonna utilizou tinham também elementos de outras culturas — como as cruzes, que não são, de todo, um elemento característico dos berberes.