Rádio Observador

PSD

PSD. Rui Rio processa candidatos às autárquicas com gastos excessivos

514

Partido avançou com um processo em tribunal contra candidato à Covilhã por gastos excessivos na campanha. PSD admite que possam surgir novos processos.

JOÃO PORFÍRIO/OBSERVADOR

Autor
  • Pedro Raínho

O PSD avançou com um processo em tribunal contra um candidato autárquico do partido por gastos excessivos na campanha de 2016. A secretaria-geral do partido confirma a informação ao jornal i, que avança a notícia na edição desta sexta-feira, e admite que possam existir mais casos.

“O PSD responsabilizará apenas e só aqueles” candidatos às autárquicas de 2017 “que, tendo provocado prejuízos significativos a partido, não tenham salvaguardado o pagamento de despesas da campanha autárquica nem queiram assumir as suas responsabilidades”, diz a secretaria-geral do PSD ao diário. Ou seja, pode até haver mais casos de candidatos que tenham excedido os respetivos orçamentos de campanha, mas o PSD só avançará com processos contra os responsáveis por “prejuízos significativos” — diferenças de “mil ou dois mil euros” serão desvalorizadas — ou que se recusem a pagar a diferença.

O único processo já formalizado visa Marco Batista, que terá gastado mais 87.066 euros face ao orçamentado. Foi candidato à Câmara Municipal da Covilhã nas eleições de 1 de outubro do ano passado, ficou em quarto lugar e, pouco depois disso, enfrentou suspeitas de ter desviado 120 mil euros da Rede de Judiarias de Portugal, onde era consultor. Esteve desaparecido e, soube-se mais tarde, acabou internado com um diagnóstico de surto psicótico. Ao jornal i, o social-democrata diz que está “completamente fora” dos últimos acontecimentos e que não fazia “a mínima ideia” da ação judicial que lhe foi movida pelo seu partido.

Os processos em tribunal, diz fonte do PSD ao diário, surgem como uma “medida pedagógica e exemplar”, uma forma de garantir que candidatos que concorram em nome do partido respeitam os orçamentos fixados para as campanhas. Mas terá também consequências para a gestão interna de Rui Rio. “Não houve sequer a a atenção de dar uma palavra às pessoas envolvidas e trata-se de uma situação que vai criar conflito e que tornará a relação mais tensa com a direção do partido”, diz ao i um militante social-democrata.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
PSD/CDS

A beira do precipício

José Ribeiro e Castro
934

A visão da beira do precipício serve para despertar. Se não querem deixar Portugal totalmente submetido à esquerda, PSD e CDS têm de fazer mais no tempo que falta. Sobretudo fazer melhor. E desde já.

Assembleia Da República

Atentados às crianças /premium

Maria João Marques

Não vejo bem como defender um quadro legal que permite que o agressor continue a contactar a vítima criança, muitas vezes usando-a para atormentar a mãe (o que também atormenta a criança).

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)