Cosméticos

Coreia do Norte tem marca de cosméticos que quer competir com Chanel

101

A recém aberta fábrica de cosméticos de Pyongyang tem a pretensão de concorrer com marcas e luxo internacionais, como a Chanel e a Shiseido.

AFP/Getty Images

Em Pyongyang existe uma fábrica de cosméticos com pretensões internacionais. Recentemente remodelada, abriu pela primeira vez as portas aos jornalistas internacionais e apresentou-se como estando “ao mesmo nível” que a Chanel e a Shiseido.

“Surpreendentemente o local não cheira a químicos”, relatam os repórteres que visitaram as instalações no dia 8 de setembro. A fábrica está munida com equipamentos de alta tecnologia e uma dúzia de ecrãs de LED numa parede que indicam o progresso de cada linha de produção. Todo o processo é supervisionado por dois trabalhadores através de filmagens em direto que acompanham a partir das suas secretárias.

No segundo andar, onde é produzida a loção Unhasu (a gama de luxo que pretende rivalizar com as marcas de renome mundial), o processo é ainda mais automatizado. Nesta secção, completamente isolada do exterior, os poucos trabalhadores que controlam a produção utilizam fatos e máscaras para evitar a contaminação.

Por aqui passou duas vezes Kim Jong Un, uma em 2014 e outra em 2017.  Na última visita, segundo o engenheiro chefe, terá ordenado que a fábrica produzido “os melhores cosméticos do mundo”. Para isso enviou 138 produtos internacionais para que fossem estudados e usados para melhorar a própria oferta. “Desenvolvemos os nossos próprios produtos com base na análise. Como podem ver, os produtos alcançaram ou até superaram estas marcas internacionais em termos de componentes nutricionais”, afirmou Lee Seon-hee.

Seon-hee defende que a gama Unhasu está “ao mesmo nível” que as grandes marcas internacionais a quatro níveis: “estabilidade, segurança, sensação e efeito”. O engenheiro chefe garanter ainda que os produtos norte-coreanos superam a Chanel no parâmetro ‘segurança’ porque “contêm abundantes estratos de plantas e animais que crescem ou vivem na Coreia do Norte”.

Fundada em 1969, a fábrica de Pyongyang alega que produz cerca de 300 produtos diferentes, entre os quais loções, cremes antirrugas e champôs. A população descreve-os como sendo “gentis, simples e elegantes”, aquilo que os padrões de beleza locais indicam que a mulher norte-coreana deve ser.

Fora da Coreia do Norte, os produtos são vendidos na Rússia, Irão e China. Neste último, os produtos são particularmente populares nas vendas online devido aos preços mais acessíveis — a maioria dos produtos, mesmo o creme antirrugas, são vendidos por menos de 85 euros. Austrália e Chipre são os próximos mercados para onde a fábrica quer começar a exportar.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)