Rádio Observador

Benfica

Vieira apanhado em conversa telefónica com César Boaventura para transferir Rui Vitória. Empresário confirma

340

Conversa telefónica entre Luís Filipe Vieira e César Boaventura revela no Youtube que presidente tentou transferir Rui Vitória para o Everton. Empresário confirma, mas diz que técnico estava a par.

António Pedro Santos/LUSA

Autor
  • Mariana Béu

Um vídeo publicado esta segunda-feira no YouTube revela uma conversa telefónica entre Luís Filipe Vieira e o empresário César Ventura, ocorrida em dezembro de 2017, em que o presidente do Benfica terá tentado  transferir o técnico Rui Vitória para o Everton, pensando contratar Marco Silva (que, à época, treinava o Watford) para o cargo. Entretanto, o empresário já confirmou a existência dessa conversa, garantindo que o treinador das águias estava por dentro de tudo.

Segundo a conversa, Boaventura teria a tarefa de falar com o empresário de Rui Vitória, Mohamed Afzal, para apurar as condições de uma transferência para Inglaterra.

Na conversa, fala-se ainda de Marco Silva. César Boaventura revela ao presidente do Benfica que o Everton ofereceu 9 milhões de euros ao Watford para contratar o técnico português mas que o Watford não aceitou. Vieira responde: “Então se não for 15 podem ser 10 milhões. Não há nada como falar com eles”.

Empresário confirma conversa

À TVI24, César Boaventura confirma a veracidade do diálogo. “A conversa é 100 por cento real. É uma parte que as pessoas querem contextualizar à sua maneira. O próprio presidente refere na conversa que Rui Vitória é um treinador que não vai vender barato e que a cláusula de rescisão são 15 milhões”, disse.

O empresário frisou ainda que Rui Vitória esteve sempre a par de todas as negociações. “Eu tinha uma relação de proximidade com Bill Kenwright, um dos donos do Everton, e tinha uma reunião marcada para a sexta-feira seguinte em Londres. Cheguei lá e disse que o Benfica não vendia o treinador por menos da cláusula e que o presidente não se queria desfazer do treinador, que apenas e só o deixava sair se o salário fosse vantajoso para ele. Eles fizeram uma proposta verbal. Liguei ao empresário do treinador que o informou, e o treinador disse: eles que falem com o Benfica. Liguei ao presidente com uma proposta de 7 milhões de euros e ele disse ‘não vendo por menos de 10 milhões e nem vale a pena falar disto antes do dérbi’. O treinador tinha conhecimento, o empresário tinha conhecimento e o presidente teve conhecimento“, garantiu.

“O Everton tinha Marco Silva como primeira opção, Rui Vitória era a segunda opção dada a sua capacidade de lançar jovens valores, que era o projeto do Everton na altura”, adiantou ainda Boaventura. “Ofereciam 7 milhões pelo Rui Vitória, mas Vieira disse que o treinador fazia parte do projeto e que não aceitava. Esta chamada foi em dezembro e nunca mais falámos sobre o assunto.Passado uns meses, o Stoke City perguntou pelo Rui Vitória e eu telefonei ao presidente a informá-lo de que teria uma reunião em Inglaterra.Vieira disse: ‘não vás que vais perder o teu tempo, Rui Vitória é o treinador para este projeto’”, concluiu ainda Boaventura, que garante que Vieira “não precisa de esquemas” para despedir um treinador.

Benfica: “Ato de extrema gravidade”

Citada pelo Record, fonte oficial do Benfica considerou a divulgação do áudio de “extrema gravidade”. “Ou resulta de uma gravação ilegal do telefone do presidente do Benfica ou de uma escuta telefónica de algum processo, o que representa violação do segredo de justiça. Ambas são situações de extrema gravidade”.

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)