Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Um vídeo publicado esta segunda-feira no YouTube revela uma conversa telefónica entre Luís Filipe Vieira e o empresário César Ventura, ocorrida em dezembro de 2017, em que o presidente do Benfica terá tentado  transferir o técnico Rui Vitória para o Everton, pensando contratar Marco Silva (que, à época, treinava o Watford) para o cargo. Entretanto, o empresário já confirmou a existência dessa conversa, garantindo que o treinador das águias estava por dentro de tudo.

Segundo a conversa, Boaventura teria a tarefa de falar com o empresário de Rui Vitória, Mohamed Afzal, para apurar as condições de uma transferência para Inglaterra.

Tens de dizer ao gajo que o Benfica tem uma cláusula de 15 milhões de euros, tem de se negociar para baixar um bocado aquilo. Não pode é ninguém saber disto”, disse o líder dos encarnados no diálogo. “Não pode sair no jornal, nada. Tem de ser secreto. Isto é um treinador que ganhou dois campeonatos com o Benfica, está a lançar muitos jovens do Benfica e tal”, referiu ainda Vieira.

https://www.youtube.com/watch?v=SjXuGL3jSao

Na conversa, fala-se ainda de Marco Silva. César Boaventura revela ao presidente do Benfica que o Everton ofereceu 9 milhões de euros ao Watford para contratar o técnico português mas que o Watford não aceitou. Vieira responde: “Então se não for 15 podem ser 10 milhões. Não há nada como falar com eles”.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Empresário confirma conversa

À TVI24, César Boaventura confirma a veracidade do diálogo. “A conversa é 100 por cento real. É uma parte que as pessoas querem contextualizar à sua maneira. O próprio presidente refere na conversa que Rui Vitória é um treinador que não vai vender barato e que a cláusula de rescisão são 15 milhões”, disse.

O empresário frisou ainda que Rui Vitória esteve sempre a par de todas as negociações. “Eu tinha uma relação de proximidade com Bill Kenwright, um dos donos do Everton, e tinha uma reunião marcada para a sexta-feira seguinte em Londres. Cheguei lá e disse que o Benfica não vendia o treinador por menos da cláusula e que o presidente não se queria desfazer do treinador, que apenas e só o deixava sair se o salário fosse vantajoso para ele. Eles fizeram uma proposta verbal. Liguei ao empresário do treinador que o informou, e o treinador disse: eles que falem com o Benfica. Liguei ao presidente com uma proposta de 7 milhões de euros e ele disse ‘não vendo por menos de 10 milhões e nem vale a pena falar disto antes do dérbi’. O treinador tinha conhecimento, o empresário tinha conhecimento e o presidente teve conhecimento“, garantiu.

“O Everton tinha Marco Silva como primeira opção, Rui Vitória era a segunda opção dada a sua capacidade de lançar jovens valores, que era o projeto do Everton na altura”, adiantou ainda Boaventura. “Ofereciam 7 milhões pelo Rui Vitória, mas Vieira disse que o treinador fazia parte do projeto e que não aceitava. Esta chamada foi em dezembro e nunca mais falámos sobre o assunto.Passado uns meses, o Stoke City perguntou pelo Rui Vitória e eu telefonei ao presidente a informá-lo de que teria uma reunião em Inglaterra.Vieira disse: ‘não vás que vais perder o teu tempo, Rui Vitória é o treinador para este projeto’”, concluiu ainda Boaventura, que garante que Vieira “não precisa de esquemas” para despedir um treinador.

Benfica: “Ato de extrema gravidade”

Citada pelo Record, fonte oficial do Benfica considerou a divulgação do áudio de “extrema gravidade”. “Ou resulta de uma gravação ilegal do telefone do presidente do Benfica ou de uma escuta telefónica de algum processo, o que representa violação do segredo de justiça. Ambas são situações de extrema gravidade”.