Estão sempre disponíveis para a brincadeira, são uma companhia bem-disposta e adoram retribuir o carinho que lhes damos. Estas são, geralmente, as qualidades que caracterizam qualquer cão saudável e que podem até refletir-se no próprio estado de saúde do tutor: vários estudos demonstram que ter um cão torna-nos fisicamente mais ativos, contribui para níveis equilibrados de colesterol e de pressão arterial, combate a ansiedade, reduz o risco de alergias, entre muitos outros benefícios. Mas para que tudo isso seja possível, é fundamental zelar pelo bem-estar do seu animal de estimação, e, para tal, uma correta nutrição é tão importante como a vacinação ou a desparasitação. Contudo, no ato da compra e perante uma prateleira repleta de opções, a escolha do alimento mais adequado nem sempre é uma tarefa fácil para o tutor. Dois dos critérios mais importantes passam por ter em consideração as especificidades do animal (como a raça, idade, condição física, doenças diagnosticadas e se é ou não esterilizado) e optar por uma marca de confiança, como a Royal Canin, cujos produtos sejam cientificamente testados, de modo a garantir que o alimento é seguro para o seu cão.

Alimento: por que é tão importante

Uma alimentação adequada às necessidades do animal de estimação é um fator fundamental para a promoção do seu bem-estar, podendo reduzir o risco de várias doenças, como, por exemplo, as do foro ortopédico, respiratório, cardíaco, reprodutivo, hepático ou endócrino. O aporte calórico da sua alimentação, isto é, a ingestão de calorias, deve ainda ser proporcional à sua atividade física para que não deixe de ter a energia necessária ao seu dia a dia, nem sofra de excesso de peso e obesidade, que pode reduzir em cerca de 2 anos a esperança média de vida do seu companheiro de quatro patas.

Diferentes cães, diferentes necessidades

As necessidades nutricionais variam também de acordo com a idade, o tamanho, a raça, o estado reprodutivo, o estilo de vida e as sensibilidades de cada animal. E esse é um fator que não pode deixar de ter em conta ao escolher o melhor alimento para o seu cão. Por exemplo, um Yorkshire Terrier tem o pelo muito fino e longo e um paladar muito exigente, precisando, por isso, de um tipo de alimento que contribua para manter a sua pele saudável, promovendo o seu efeito de barreira cutânea, e que cuide da sua higiene oral, sem deixar de ser saborosa.

Tipos de alimento

Mostrar Esconder

São ambas opções nutritivas e, muitas vezes, a escolha depende das preferências do tutor e do cão.

Seco
Por conter menos humidade, é mais concentrado em nutrientes do que outros tipos de alimento, não sendo necessária uma quantidade tão grande para satisfazer as necessidades do animal. O facto de serem croquetes secos pode beneficiar a sua saúde oral porque, através da mastigação, massajam os dentes e gengivas.

Húmido
É constituído por cerca de 68 a 78 por cento de água e tem geralmente um aroma mais forte e apetecível para os animais. A carne é geralmente o principal ingrediente, e a sua textura suave pode ser uma boa opção para animais com problemas em mastigar, e o aporte maior em água que trazem promove a saúde do trato urinário.

Mixfeeding
É a combinação de alimento seco (croquetes) com húmido (pedaços com molho ou paté), sendo ao mesmo tempo nutritivo, apetecível e promotor da hidratação e saúde urinária. Além disso, favorece a sensação de saciedade e satisfaz os apetites mais exigentes.

Além disso, como esta é uma raça que se carateriza por viver muitos anos, pelo que o alimento deve favorecer o envelhecimento harmonioso e ser suplementado com elevado teor de antioxidantes. Já o Labrador tem uma predisposição natural para o aumento do peso e, devido a alterações metabólicas (como aumento do apetite e um risco de obesidade mais elevado), quando é esterilizado, tem um maior risco de lhe surgirem problemas nas articulações. Assim, esta raça precisa de uma fórmula que a ajude a manter o peso regulado (que contenha, por exemplo, L-carnitina, que ajuda a queimar gordura, e mais fibra, que aumenta a sensação de saciedade) e que promova a boa saúde das suas articulações através da suplementação com condroprotetores.

O que caracteriza uma dieta equilibrada

Os cães precisam de mais de 40 nutrientes, entre os quais a proteína (que deve constituir cerca de 20-30 por cento da sua alimentação), aminoácidos essenciais, ácidos gordos e vitaminas e minerais, refere a Pet Nutrition Alliance. Relativamente às gorduras, além de serem uma boa fonte de energia, são fundamentais para um bom estado do pelo, pele e almofadas das patas do cão. Estas devem corresponder a cerca de nove a 15 por cento da dieta. A ingestão de água é também muito importante, pelo que o animal deve ter sempre uma taça à sua disposição, especialmente após atividades muito energéticas. Caso o seu cão não goste de beber água, uma alimentação mista (a combinação de alimento seco com alimento húmido) será uma boa opção, pois nutre ao mesmo tempo que hidrata. Em caso de dúvida, aconselhe-se junto do seu veterinário.