Angela Merkel

Annegret Kramp-Karrenbauer é a sucessora de Merkel

252

Annegret Kramp-Karrenbauer é a sucessora de Merkel na liderança da União Democrata Cristã. A até agora secretária-geral do partido segue a linha política da chanceler alemã.

A eleição foi feita esta sexta-feira, em Hamburgo no congresso do partido União Democrata Cristã

ODD ANDERSEN/AFP/Getty Images

A sucessora de Angela Merkel na liderança do partido União Democrata Cristã (CDU) já foi eleita com 517 votos dos 999: Annegret Kramp-Karrenbauer, até agora, secretária-geral do partido. A eleição foi feita esta sexta-feira, na cidade de Hamburgo no congresso do partido.

Os delegados escolheram Annegret Kramp-Karrenbauer, apelidada de “Mini-Merkel”, na segunda ronda de votações. A vitória foi renhida: Kramp-Karrenbauer ficou separada por apenas 35 votos do candidato Friedrich Merz, advogado e empresário apelidado de “Anti-Merkel”, que recebeu 482 votos. O terceiro candidato Jens Spahn, atual ministro da Saúde, foi perdeu a corrida na primeira ronda de votações.

A sucessora, que segue a linha política da chanceler alemã, estava entre os dois candidatos favoritos à liderança do partido e era também a favorita de Merkel. Kramp-Karrenbauer tinha sido escolhida por Merkel para secretária-geral do partido —  cargo que ocupa desde fevereiro deste ano.

Merkel é a chefe do governo alemão há 13 anos e líder da CDU há 18. A 29 de outubro, revelou a intenção de não se recandidatar à liderança do partido. Ainda assim, Angela Merkel planeia cumprir o seu mandato por inteiro e, por isso, continuar a ser chanceler até 2021.

Assim, Annegret Kramp-Karrenbauer não se torna automaticamente chanceler mas, agora na liderança do partido, poderá assumir o cargo político caso Merkel se demita ou, no final do seu mandato, caso vença as eleições.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: cbranco@observador.pt
Alemanha

Sobre o legado de Angela Merkel /premium

João Carlos Espada

Quem irá refrear a vertigem supra-nacional na União Europeia, depois da saída de Angela Merkel? Se ninguém o fizer a partir dos partidos centrais, a maré populista continuará imparável.

China

A Terra É De Quem a Trabalha

João Pires da Cruz

Preocupa-me menos o facto de os chineses serem os “donos disto tudo” do que quando os “donos disto tudo” eram outros. O que me preocupa é o facto de termos feito zero para não haver “donos disto tudo”

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)