Teatro

Espetáculo “Fausto” cancelado devido a greve de técnicos do CCB

577

A greve dos técnicos de palco e audiovisuais da Fundação Centro Cultural de Belém levou ao cancelamento do espetáculo "Fausto", adiantou a FCCB, manifestando "surpresa" pelo sucedido.

Tiago Petinga/LUSA

Autor
  • Agência Lusa
Mais sobre

A greve dos técnicos de palco e audiovisuais da Fundação Centro Cultural de Belém (FCCB) levou este sábado ao cancelamento do espetáculo “Fausto”, adiantou a FCCB, manifestando “surpresa” pelo sucedido já que a paralisação abrangia apenas o trabalho suplementar.

“Foi com a maior surpresa que o Conselho de Administração da FCBB tomou conhecimento de que o espetáculo da tarde de hoje iria ser inviabilizado, por motivo dessa “greve”, o que veio a acontecer, apesar de o espetáculo acontecer durante uma jornada normal de trabalho, e não em sede de “trabalho suplementar”, facto perante o qual a FCCB não deixará de desenvolver as devidas consequências”, salienta em comunicado.

O Conselho de Administração da FCCB afirma que o pré-aviso de greve “era claramente explícito no que se refere ao seu objeto, referindo-se exclusivamente uma “greve ao trabalho suplementar”, a partir do dia 01 de Novembro” e destaca que a greve “não tem afetado a programação normal da FCCB, assegurando-se sempre a realização de todos os espetáculos programados”.

O Sindicato dos Trabalhadores de Espetáculos, do Audiovisual e dos Músicos (CENA/STE) iniciou a 01 de novembro uma greve dos técnicos do Centro Cultural de Belém (CCB), ao trabalho extraordinário, por tempo indeterminado.

“Depois de vários anos de utilização abusiva da figura do trabalho suplementar, o que fez com que os técnicos tenham já intentado uma ação em tribunal contra a FCCB, decidiram estes trabalhadores avançar para esta forma de luta numa demonstração clara de unidade e de que não é possível continuar a permitir que toda a atividade regular da FCCB se baseie em trabalho suplementar”, justificou o CENA/STE.

No comunicado, o sindicato defende que “é essencial avançar para um cenário laboral em que o trabalho suplementar sirva para suprir necessidades imprescindíveis e imponderáveis que possam surgir”.

No caso do CCB, consideram que, “tendo em conta a programação bastante preenchida e exigente desta casa, é necessário adequar os recursos humanos ao crescente e intenso ritmo de trabalho”.

No comunicado assinado pela direção, o sindicato defende “o respeito pelos tempos de descanso dos trabalhadores, a sua vida pessoal e familiar e ter em conta que boa parte do seu trabalho exige um enorme esforço físico devido a longas jornadas de trabalho, horários extremamente irregulares e períodos de descanso reduzidos, pondo em causa a sua segurança e integridade física”.

Agora que entramos em 2019...

...é bom ter presente o importante que este ano pode ser. E quando vivemos tempos novos e confusos sentimos mais a importância de uma informação que marca a diferença – uma diferença que o Observador tem vindo a fazer há quase cinco anos. Maio de 2014 foi ainda ontem, mas já parece imenso tempo, como todos os dias nos fazem sentir todos os que já são parte da nossa imensa comunidade de leitores. Não fazemos jornalismo para sermos apenas mais um órgão de informação. Não valeria a pena. Fazemos para informar com sentido crítico, relatar mas também explicar, ser útil mas também ser incómodo, ser os primeiros a noticiar mas sobretudo ser os mais exigentes a escrutinar todos os poderes, sem excepção e sem medo. Este jornalismo só é sustentável se contarmos com o apoio dos nossos leitores, pois tem um preço, que é também o preço da liberdade – a sua liberdade de se informar de forma plural e de poder pensar pela sua cabeça.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)