O Bloco de Esquerda convocou para esta tarde uma conferência de imprensa com caráter de “urgência”. O tema é o facto de o BE ter tido conhecimento de que o parlamento alemão discutiu e votou um documento com as condições para o pagamento antecipado ao FMI da dívida portuguesa. Documento esse que, segundo o Bloco de Esquerda, o parlamento português não teve acesso, o que deixou os bloquistas furiosos.

Numa nota enviada às redações esta tarde, o gabinete de imprensa do Bloco de Esquerda nota que a 29 de novembro o primeiro-ministro anunciou na Assembleia da República que iria fazer o pagamento antecipado da totalidade da dívida portuguesa ao FMI, no valor de 4.600 milhões de euros, sendo que esta segunda-feira o ministro das Finanças veio anunciar que o pagamento tinha sido todo feito, o que valeu uma poupança ao Estado português de 100 milhões de euros.

Segundo o Bloco de Esquerda, é nesse documento que se explica as condições para o pagamento antecipado da dívida, condições essas que, pelos vistos, o Parlamento alemão passou a conhecer e o parlamento português ainda desconhece. Trata-se, dizem, de uma questão de “respeito pelas instituições democráticas portuguesas”.

“É que as condições de pagamento constam da documentação enviada ao Parlamento alemão mas que é desconhecida da Assembleia da República Portuguesa, pelo que se exigem esclarecimentos do Governo sobre esta matéria”, lê-se na nota do BE enviada às redações.

A conferência de imprensa da deputada do Bloco de Esquerda Mariana Mortágua está prevista para as 17h desta sexta-feira.