Foi por pouco, e talvez por mera sorte, que não se juntaram às mais de 200 pessoas que não sobreviveram ao tsunami deste domingo na Indonésia. É essa certeza que sobra dos relatos daqueles que, à medida que as horas passam e os estragos são averiguados, sobreviveram ao tsunami causado pela erupção do vulcão Krakatoa.

Um dos sobreviventes é Azki Kurniawan, um rapaz de 16 anos que falou à Associated Press. O jovem estudante de uma escola profissional conta que estava com a turma, de 30 alunos, no Patra Comfort Hotel, quando de repente começaram a entrar pessoas na receção, gritando que o nível da água estava a subir. O jovem foi a correr até ao parque de estacionamento do hotel, para pôr a sua mota em segurança, mas nessa altura foi surpreendido. “De repente, uma onda de um metro atingiu-me”, contou à Associated Press.

“Caí, a água afastou-me da minha mota. Fui arrastado até à vedação de um edifício que fica a cerca de 30 metros da praia e agarrei-me com todas as minhas forças, para tentar resistir à água, que parecia que me estava a tentar arrastar para o mar. Chorei com medo de morrer. ‘Isto é um tsunami?'”

Também o fotógrafo e funcionário da Embaixada da Noruega em Jakarta, Øystein Lund Andersen, contou como estava na praia a fotografar o vulcão cuja erupção que deu origem ao tsunami quando viu uma “grande onda” a vir do mar. “Tive de fugir, à medida que a onda foi para lá da praia, entrando entre 15 a 20 metros em terra”, escreveu o fotógrafo no Facebook.

“Consegui tirar a minha família e levá-la para um terreno mais elevado, através de caminhos nas florestas e em aldeias, com a ajuda de alunos. Estamos bem, felizmente”, disse. “Parece que vi o meu primeiro tsunami e, espero, último.”

Yesterday evening disaster striked on my family trip to the coast of West-Java (Anyer) -when we got hit by tsunami…

Posted by Øystein Lund Andersen on Saturday, December 22, 2018

Outro relato que está a rodar o mundo é o do vocalista da banda indonésia Seventeen, que tocava num concerto ao vivo quando foi surpreendido por uma onda. A água derrubou-lhe primeiro o palco e depois engoliu a plateia. O vocalista, Riefian Fajarsyah, contou a uma televisão da Indonésia como o impacto das ondas o puxou para dentro de água, juntamente com o manager da banda, que acabaria por morrer, tal como o baixista. “Estavam entre 20 a 24 pessoas mortas à minha volta”, contou o vocalista dos Seventeen, cuja mulher estava no concerto e foi dada como desaparecida.