O Presidente angolano disse este domingo que o país registou “significativos avanços” em matéria de defesa e salvaguarda dos direitos e liberdades fundamentais do cidadão, garantindo que em Angola “há maior liberdade de imprensa, expressão e de pensamento”.

João Lourenço, que dirigiu ao país uma mensagem por ocasião da época natalícia, assinalou que o ano que termina se destaca pelo esforço do seu Governo e de outras instituições apoiadas pela sociedade civil “na moralização da sociedade, incluindo combate permanente à corrupção”. “É um resgate dos bons e tradicionais valores da sociedade angolana, através de medidas de educação cívica e patriótica de reposição da autoridade do Estado entre outras”, disse.

Em época natalícia, observou o Presidente angolano, a tradição leva a evocar os valores da paz, união familiar, amizade, fraternidade e perdão entre os seres humanos, sublinhando que, nas grandes cidades do país reduziu-se significativamente a criminalidade.

Para João Lourenço, reduzido foi também o garimpo ilegal dos recursos naturais, como os diamantes, vandalismo dos bens públicos, exploração ilegal e desordenada de inertes, o tráfico ilícito do marfim e consequente abate de espécies raras e a venda ilegal de moeda externa. Porque a batalha não está ainda vencida, observou, “tem de se ser persistente na ação”.

“O esforço pela reposição da ordem e da dignidade humana deve ser contínuo, mas é, no entanto, no seio das famílias que devem começar a ser transmitidos e aplicados esses valores. Do amor à terra que os viu nascer, da honestidade das nossas ações, da solidariedade para com o próximo, do respeito pela diferença de opiniões e pela tolerância que são alguns dos principais fundamentos que deve assentar qualquer sociedade”, apontou.

Durante a sua mensagem, o Presidente angolano frisou igualmente que, durante 2018, o Governo dedicou “particular atenção” ao setor social, como a saúde e educação, “com vista a melhorar a qualidade dos serviços públicos prestados ao cidadão neste particular”.

João Lourenço adiantou que foi ainda tomado um conjunto de medidas a favor da criação de um melhor ambiente de negócios, existindo atualmente maior diálogo entre o Executivo e a classe empresarial privada. Assinalou que o objetivo é encontrar-se “em conjunto” os melhores caminhos que levem a políticas e ações mais concretas e efetivas a favor da diversificação da economia, ao aumento da produção interna de bens e serviços “essenciais ao crescimento das exportações”.

“Haverá uma consequente arrecadação de divisas e uma maior oferta de emprego durante o ano que se aproxima”, adiantou.

Segundo o Presidente angolano, 2019 será um ano “para se continuar a materializar a agenda do executivo pelo relançamento e fortalecimento da economia nacional, na satisfação das necessidades e do bem-estar dos angolanos”. “Muitos desafios nos esperam e juntos vamos enfrentá-los, determinados a vencê-los para o bem de Angola e dos angolanos”, concluiu.