A bolsa de Nova Iorque negociava esta terça-feira em terreno negativo, pressionada por previsões mais pessimistas quanto ao crescimento global e quando se agrava a tensão entre China, Estados Unidos e Canadá sobre a extradição da diretora financeira da Huawei.

Às 14h52 (hora de Lisboa), o índice Dow Jones descia 0,68% para 24.537,88 pontos e o Nasdaq, dominado pelo setor tecnológico, baixava 1,12% para 7.077,09 pontos. O índice alargado S&P 500 perdia 0,63% para 2.653,92 pontos.

O Fundo Monetário Internacional (FMI) anunciou na segunda-feira que reviu em baixa as previsões de crescimento da economia mundial para 3,5% em 2019 e 3,6% em 2020.

No plano diplomático, Pequim instou esta terça-feira Washington a não apresentar às autoridades canadianas um pedido de extradição da diretora financeira da empresa tecnológica chinesa Huawei, Meng Wanzhou, que permanece no Canadá depois de ter sido detida e libertada sob fiança.

“Exortamos o Canadá a libertá-la de imediato e a salvaguardar os seus direitos e interesses legítimos e os Estados Unidos a cancelarem a ordem de detenção e absterem-se de qualquer pedido formal de extradição ao Canadá”, disse a porta-voz do Ministério dos Negócios Estrangeiros chinês.

Segundo a imprensa canadiana, o embaixador norte-americano em Otava revelou a intenção de Washington de solicitar formalmente a extradição de Meng, um procedimento que pode ser feito até 30 de janeiro. Meng foi detida em Vancouver, no passado dia 1 de dezembro, a pedido dos Estados Unidos, por suspeita de o grupo de telecomunicações chinês ter exportado produtos de origem norte-americana para o Irão, violando as sanções impostas por Washington.

A data limite de 30 de janeiro coincide com as datas da próxima ronda de negociações comerciais entre Estados Unidos e China. Na segunda-feira, a bolsa nova-iorquina esteve encerrada por ser feriado nos Estados Unidos.