A empresa de Eletricidade de Moçambique (EDM) anunciou esta quinta-feira estar em situação de “alerta vermelho” no sul do país devido à falta de chuva para produzir eletricidade. “O problema da falta de água continua, sobretudo na zona sul, e já estamos num alerta vermelho”, disse Luís Amado, porta-voz da empresa em conferência de imprensa, em Maputo.

O porta-voz usou o termo depois de explicar que a produção de energia da barragem de Corrumana, no sul de Moçambique, está reduzida a cerca de metade dos 25 megawatts que devia lançar da rede. Na zona centro do país, a situação é considerada normal, mas, se a precipitação ficar abaixo do normal durante a atual época chuvosa, poderá haver um problema semelhante. Para já, não foram anunciados constrangimentos ao abastecimento de energia.

A situação não é nova: já no último ano a Hidroelétrica de Cahora Bassa, no interior centro, a maior produtora de eletricidade do país, anunciou que a atividade da barragem foi condicionada pela fraca precipitação registada na época chuvosa 2017/2018.

A situação reflete-se noutras albufeiras que servem para abastecimento, como é o caso dos Pequenos Libombos, no sul do país. Há cinco anos que a albufeira que leva água à população e agricultura tem estado a funcionar abaixo de 30% da capacidade.

A falta de chuva coincide com uma fase em que a EDM está a realizar maior número de ligações à rede. Segundo números esta quinta-feira anunciados, a EDM realizou 247 mil novas ligações em 2018, contra 153 mil do ano anterior. Este é um número considerado “significativo”, e que bate o recorde de 2010, ano em que houve 163 mil ligações.

Para este ano preveem-se 300 mil novas ligações, no âmbito do programa de acesso universal à energia, designado “Luz Para Todos”. Entretanto, devido ao crescimento, expansão e à função social da empresa, o resultado operacional acaba sendo “deficitário”, disse Luís Amado. “O resultado será negativo, porque [a EDM] tem estado a investir em eletrificação rural”, uma área de intervenção que “devia separar-se da EDM”, concluiu.