Enfermeiros

Enfermeiros. Plataforma de crowdfunding tem de ceder dados à ASAE

897

A plataforma usada por um grupo de enfermeiros para reunir apoios para a greve cirúrgica tem de entregar à ASAE os nomes, os valores e as datas de cada donativo feito pelas mais de 14 mil pessoas.

MIGUEL A. LOPES/LUSA

A plataforma de crowdfunding usada para recolher donativos para a chamada “greve cirúrgica” dos enfermeiros vai mesmo ter de ceder os dados de cada um doadores à Autoridade de Segurança Alimentar e Económica (ASAE). Há uma semana, a plataforma de financiamento colaborativo PPL foi notificada para entregar os nomes, os montantes e as datas de cada um dos donativos feitos para apoiar a greve dos enfermeiros, mas decidiu antes pedir um parecer à Comissão Nacional de Proteção de Dados (CNPD).

Na resposta da CNPD, enviada à dona da PPL, e a que o Observador teve acesso, aquele organismo refere que “nada obsta à disponibilização à ASAE da informação solicitada para a prossecução das atribuições e o estrito exercício das competências em que está legalmente investida”.

Enquanto entidade fiscalizadora deste tipo de plataformas, continua o parecer, a ASAE tem “o poder de aceder ao registo dos beneficiários e dos apoiantes das operações de financiamento, abrangendo as categorias de informação e de dados pessoais”. Está, por isso, “preenchida a condição de licitude do tratamento de dados pessoais pretendido” na notificação entregue pela ASAE à empresa, há exatamente uma semana, “por em causa estar uma operação de tratamento de dados pessoais necessária ao exercício da autoridade pública” da ASAE, conclui a CNPD.

No pedido que enviou à Comissão Nacional de Proteção de Dados, já no início desta semana, a Orange Bird pretendia saber se estava autorizada a “entregar a informação requerida sem o consentimento expresso dos apoiantes/utilizadores da campanha”. No pedido de esclarecimento de uma “dúvida”, a dona da plataforma de recolha de apoios referia que a ASAE tinha solicitado a apresentação de “diversos dados, incluindo a identificação completa dos apoiantes de quatro campanhas de crowdfunding“, entre as quais duas referentes à greve dos enfermeiros.

Segundo a própria empresa, “os dados de que a plataforma dispõe são o nome completo, endereço de e-mail e, em alguns casos, o número de telefone” das mais de 14 mil pessoas que fizeram contribuições para esta iniciativa, e que levou o Governo a suscitar dúvidas sobre as motivações de quem fazia donativos anónimos para apoiar a greve. “A ASAE solicitou também a informação de pagamento de cada apoio”, acrescentavam os responsáveis da Orange Bird.

As dúvidas sobre quem estaria a patrocinar a greve dos enfermeiros levaram, entretanto, o PS a anunciar a apresentação de um projeto que proíba a realização de contribuições monetárias anónimas no crowdfunding. O deputado Tiago Barbosa Ribeiro, coordenador do PS na Comissão Parlamentar de Trabalho, disse ao Público que o partido “vai desenvolver todas as ações necessárias à obtenção dessa clarificação perante o país”.

Todos queremos saber mais. E escolher bem.

A vida é feita de escolhas. E as escolhas devem ser informadas.

Há uns meses o Observador fez uma escolha: uma parte dos artigos que publicamos deixariam de ser de acesso totalmente livre. Esses artigos Premium, por regra aqueles onde fazemos um maior investimento editorial e que mais diferenciam o nosso projecto, constituem a base do nosso programa de assinaturas.

Este programa Premium não tolheu o nosso crescimento – arrancámos mesmo 2019 com os melhores resultados de sempre.

Este programa tornou-nos mesmo mais exigentes com o jornalismo que fazemos – um jornalismo que informa e explica, um jornalismo que investiga e incomoda, um jornalismo independente e sem medo. E diferente.

Este programa está a permitir que tenhamos uma nova fonte de receitas e não dependamos apenas da publicidade – porque não há futuro para a imprensa livre se isso não acontecer.

O Observador existe para servir os seus leitores e permitir que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia. Por isso o Observador também é dos seus leitores e necessita deles, tem de contar com eles. Como subscritores do programa de assinaturas Observador Premium.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: prainho@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)