Benfica

A preparação de Florentino e a estratégia de Lage para “jogar com o resultado”

O Benfica empatou pela primeira vez na era Lage mas o resultado soube a vitória. Florentino voltou a ser titular e garante que está "preparado" e Bruno Lage explicou que "jogou com o resultado".

Florentino Luís voltou a ser titular contra o Galatasaray

AFP/Getty Images

Em 11 jogos no comando técnico do Benfica, Bruno Lage tinha dez vitórias e apenas uma derrota, com o FC Porto, na meia-final da Taça da Liga. O treinador encarnado só soube esta quinta-feira o que era o sabor do empate, ao não ir além de um resultado sem golos na receção ao Galatasaray para a segunda mão dos 16 avos de final da Liga Europa — naquele que foi também o primeiro jogo da era Lage em que o Benfica não marcou. Empate esse que, contudo, sabe bem mais a vitória: a vitória na Turquia garantida pelos golos de Salvio e Seferovic na semana passada assegurou a passagem aos oitavos de final e a manutenção nas competições europeias.

Nas últimas oito participações, o Benfica só não chegou pelo menos aos oitavos da Liga Europa numa ocasião, em 2008/09, o último ano em que a segunda competição europeia de clubes se chamou Taça UEFA. Nessa temporada, os encarnados ficaram no último lugar de um grupo que também tinha o Metalist, o Galatasaray, o Olympiacos e o Hertha Berlim e não conquistou mais do que um ponto, já que perdeu todos os jogos menos a deslocação à capital alemã. De lá para cá, o Benfica chegou aos quartos de final no ano seguinte e foi finalista vencido em anos consecutivos, 2013 e 2014.

Bruno Lage voltou a dar a titularidade a Florentino Luís, Gedson e Cervi, todos no onze inicial que venceu na Turquia mas suplentes no jogo da passada segunda-feira para o Campeonato, com o Desp. Aves, mas não lançou Yuri Ribeiro e Corchia como havia feito na primeira mão e apostou em Grimaldo e André Almeida, os habituais donos das laterais da defesa. Florentino, que contra o Galatasaray se estreou como titular no Estádio da Luz, voltou a ser um dos melhores elementos encarnados — tal como havia sido em Istambul — e a dada altura da partida tinha pelo menos o triplo dos desarmes de todos os outros jogadores presentes em campo. Na flash interview, o médio de 19 anos garantiu que “o mais importante” foi alcançado, o apuramento, e voltou a deixar elogios ao trabalho feito no Seixal. “Tentámos marcar e acho que tivemos mais oportunidades do que o Galatasaray. Não conseguimos, o empate chegou e estamos contentes pela passagem. As condições que existem na formação são muito boas e fazem com que cheguemos à equipa principal mais preparados. Estamos focados no próximo jogo do campeonato, contra o Desp. Chaves”, acrescentou Florentino.

Já o treinador encarnado fez questão de explicar e a analisar a partida de forma sucinta, sublinhando e reconhecendo que o Benfica jogou “com o resultado”. “Acho que fizemos uma boa primeira parte, com oportunidades para marcar, que podíamos ter concretizado. Depois a determinada altura sente-se na equipa um ‘se eles não vêm, nós estamos aqui seguros e compactos’. Jogámos com o resultado. Fizemos uma exibição muito segura. Defensivamente estivemos bem, a estratégia foi bem seguida”, afirmou Bruno Lage, defendendo ainda que a equipa “poderia ter tido mais bola” no ataque mas essa posse tornou-se “difícil” porque o Galatasaray “tem uma forma de jogar muito ao estilo turco”.

“As equipas vão ficando partidas, jogo em transição…aí temos de ter qualidade na posse, para quando se perder a bola não haver transição, pois ficam muitos jogadores para trás e se perdermos a bola temos sempre gente atrás. Tivemos essa consciência. É verdade que podíamos ter mais bola; não por defender de outra forma, mas por não perder a bola tão rapidamente como perdemos”, acrescentou Lage, apontando especificamente a um erro de Gedson Fernandes que criou espaço para uma transição perigosa da equipa turca. O treinador encarnado disse ainda que “o mais importante” foram as ocasiões de golo criadas: “Tenham sido em transição, em ataque organizado, de bola parada”.

Todos queremos saber mais. E escolher bem.

A vida é feita de escolhas. E as escolhas devem ser informadas.

Há uns meses o Observador fez uma escolha: uma parte dos artigos que publicamos deixariam de ser de acesso totalmente livre. Esses artigos Premium, por regra aqueles onde fazemos um maior investimento editorial e que mais diferenciam o nosso projecto, constituem a base do nosso programa de assinaturas.

Este programa Premium não tolheu o nosso crescimento – arrancámos mesmo 2019 com os melhores resultados de sempre.

Este programa tornou-nos mesmo mais exigentes com o jornalismo que fazemos – um jornalismo que informa e explica, um jornalismo que investiga e incomoda, um jornalismo independente e sem medo. E diferente.

Este programa está a permitir que tenhamos uma nova fonte de receitas e não dependamos apenas da publicidade – porque não há futuro para a imprensa livre se isso não acontecer.

O Observador existe para servir os seus leitores e permitir que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia. Por isso o Observador também é dos seus leitores e necessita deles, tem de contar com eles. Como subscritores do programa de assinaturas Observador Premium.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: mfernandes@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)