O antigo vocalista da banda de rock Talk Talk, Mark Hollis, morreu esta segunda-feira aos 64 anos, avança o jornal britânico The Guardian, citando fontes próximas do cantor. Cantor, teclista e compositor, fundou a banda nos anos 80, ao lado do baterista Lee Harris e do baixista Paul Webb. Anos mais tarde, em 1998, lançou um álbum a solo. As causas da morte são desconhecidas e não há, para já, confirmação oficial.

“Um marido e pai maravilhosos. Homem fascinante e de princípios. Aposentado da indústria musical há 20 anos, mas um ícone musical indefinível.” Foi desta forma que Anthony Costello, um conhecido pediatra britânico e primo do cantor, deu a notícia do falecimento do vocalista pelo Twitter.

Mas as homenagens não se cingem aos familiares. O baixista Paul Webb manifestou-se “chocado” e “triste” com a notícia, elogiando o percurso artístico do cantor. “Musicalmente ele foi um génio e foi uma honra e privilégio ter integrado uma banda com ele. Já não vejo o Mark há muitos anos, mas grande parte da nossa geração foi profundamente influenciada pelas suas ideias pioneiras. (…). Ele foi um dos grandes, se não o maior.”, escreveu o baterista num post no Instagram. 

A influência do cantor é várias vezes referida por músicos. “Mark Hollis captou-nos com a sua abordagem assombrosa da música e através das maneiras convincentes de apresentar montanhas simplistas de som. Ele era um educador das emoções (…) Esta é uma perda entre muitas”, escreveu a banda Broken Social Scene no Twitter. Além desta publicação, a banda retweetou vários posts de homenagens ao cantor.

Entre os vários sucessos da banda de Mark Hollis estão as músicas  It’s My Life – depois regravada pelos No Doubt – , Life’s What You Make It e Such a Shame. A banda lançou cinco discos entre 1982, dois anos depois da formação, e 1991. A banda desmembrou-se no ano em que lançou o último álbum em conjunto.

Segundo a NME,  Mark Hollis formou primeiramente uma banda chamada The Reaction, mas esta acabou logo após o primeiro single porque não teve sucesso. Foi nessa altura que surgiu Talk Talk, que rapidamente conseguiu um contrato com a EMI, uma famosa produtora musical.

Em 1998, o cantor lançou o seu único álbum a solo num registo diferente: mais voltado para o jazz. Depois disso, decidiu afastar-se do panorama musical por razões familiares. “Eu escolho a minha família. Talvez outros não sejam capazes de o fazer, mas eu não consigo ir numa tour e ser bom pai ao mesmo tempo”, explicou  Mark Hollis, a um meio de comunicação holandês.