Northvolt é uma startup criada por um antigo executivo da Tesla que se está a transformar numa referência no mundo das baterias. De momento, possui uma gigafactory em fase de construção na Suécia, que deverá arrancar em 2020 com uma capacidade de produção inicial de apenas 125 MWh de acumuladores por ano. O objectivo é atingir os 32 GWh de baterias em 2023.

Todo o projecto começou com um financiamento de 68 milhões de dólares, atribuídos pelos europeus do InnovFin, o que despertou desde logo o interesse de muitos fabricantes, tendo assinado um acordo com a Scania, uma das marcas de camiões do Grupo VW. Agora, ainda a cerca de um ano da produção se iniciar, é a própria VW que se liga à Northvolt, criando o consórcio European Battery Union (EBU).

O EBU envolve estabelecimentos e empresas dedicados à investigação e desenvolvimento de sete países europeus, com a colaboração entre eles a visar a partilha de informações e métodos sobre novos materiais, processos de produção e técnicas de reciclagem. Tem como objectivo criar baterias sustentáveis, competitivas e amigas do ambiente no ciclo completo, no seio da União Europeia.

A VW que, como qualquer outro fabricante, prevê ter muito em breve grandes necessidades em matéria de baterias, pois não há veículos eléctricos a bateria sem ela, vê com bons olhos ter mais um parceiro com tecnologia e meios, para fornecer acumuladores em quantidade. Segundo os responsáveis pela marca alemã, este investimento na Norhtvolt e no EBU “pode mesmo receber a aprovação do Ministério alemão da Economia e Energia”, uma vez que a Alemanha reconhece a necessidade de produzir localmente baterias, para que a sua indústria automóvel, de que tanto depende, não dependa de países como a China ou a Coreia do Sul. O que é tão mais interessante quanto a Northvolt já anunciou estar à procura de um segundo local para instalar uma nova fábrica de baterias em solo europeu.