Pikes Peak é a rampa americana que está na moda, por ser um desafio para pilotos e carros, ou não tivesse ela 19,99 km de extensão, 156 curvas e uma subida que leva os concorrentes dos iniciais 1.440 metros de altitude, da linha de partida, até aos 4.300 metros, onde está a meta e onde o oxigénio não abunda.

A batalha pela vitória é sempre alvo de uma discussão animada, mas a categoria principal não é a única, pois apura-se também qual o veículo eléctrico mais rápido, que já venceu a prova à geral em algumas ocasiões, além de ser igualmente disputada a que engloba os veículos de série, os quais têm de estar tal e qual como são vendidos no stand, mas com os devidos dos elementos de segurança.

A Race to the Clouds 2019 vai ser disputada a 30 de Junho, e sabe-se já que, entre muitos outros concorrentes, vai ter à partida a Bentley, que já venceu em 2018 ao ver o Bentayga sagrar-se como o SUV de série mais rápido.

6 fotos

O construtor britânico prepara-se para repetir a proeza, fazendo-se representar pelo novo Continental GT, cujo motor W12 fornece 635 cv e, devido ao facto de ser soprado por dois turbocompressores, não deve figurar entre os que mais perdem potência ao longo da subida.

A rampa de Pikes Peak é muito rápida, mas é pouco provável que o Continental GT atinja os 333 km/h que figuram como a sua velocidade máxima. Ainda assim, facilmente o coupé de luxo figurará entre os mais velozes e rápidos veículos à partida, porque em matéria de sofisticação não será fácil encontrar um concorrente à altura do Bentley.

Aos comandos do Continental GT estará Rhys Millen, um especialista em Pikes Peak, que já se sagrou vencedor aos comandos de veículos mais possantes e velozes. Mas pilotar um veículo de série rampa acima requer não só rapidez, como igualmente finesse, o que vai obrigar Miller a decidir onde atacar a fundo e onde será preferível poupar os pneus. O resultado será conhecido dentro de três meses.