Televisão

E se o “Tonight Show” fosse todo gravado com um telemóvel? Pode ver esta noite

O talk show conduzido por Jimmy Fallon sai para a rua na companhia da Samsung, numa operação publicitária que mostrará os preferidos do apresentador em Nova Iorque. Tudo gravado pelo Galaxy S10+.

Jimmy Fallon, apresentador do "Tonight Show" desde 2014

Jesse Grant/Getty Images for NBCUniversal

O episódio desta noite, 25 de março de 2019, do “Tonight Show” foi gravado na íntegra num Galaxy S10+. A Variety avança que Jimmy Fallon usará o telemóvel da Samsung para apresentar um programa especial em que leva convidados e banda residente do programa aos seus locais favoritos de Nova Iorque — cidade de onde o “Tonight Show” é emitido, em estúdio.

O vice-presidente de marketing da Samsung, Patricio Paucar, admitiu à mesma publicação que a estratégia publicitária é “uma oportunidade para ultrapassar o ruído” e levar as pessoas a prestar atenção, quando não veriam um anúncio normal. Ao captar todo o “Tonight Show” num telemóvel a empresa procura mostrar a qualidade da câmara do Galaxy S10+, o telemóvel mais caro do alinhamento da Samsung.

Jimmy Fallon vai jantar com Steve Higgins e os membros dos The Roots no restaurante Rao’s;  entregar almôndegas aos bombeiros de Nova Iorque; visitar o clube de jazz The Django (com os The Roots); cantar com Conor McGregor no New York Irish Pub; entrevistar Michael Che no Comedy Cellar e apresentar um momento de stand up de Rachel Feinstein no mesmo local.

O episódio do “Tonight Show” representa apenas o início de uma colaboração alargada entre a Samsung e o grupo televisivo que transmite o programa, a NBCUniversal. Estão planeados anúncios, integrados ou não na estrutura do programa, em “Today”, “Watch What Happens Live with Andy Cohen” (Bravo), “La Voz” (Telemundo) e “Snapchat Discover Show The Rundown” (E!). Patricio Paucar indicou ainda um possível acordo com a ABC.

A Google usou uma estratégia similar para publicitar um sistema de campainhas inteligentes, o Nest. A gigante tecnológica comprou um intervalo inteiro do “Late Show with Stephen Colbert”, substituindo os anúncios por conteúdo patrocinado pela empresa. Na altura foi a primeira iniciativa do género no talk show da CBS.

Em “Jimmy Kimmel Live”, da ABC, são habituais os conteúdos patrocinados e personalizados para marcas como o Bank of America ou a Smirnoff. No “Saturday Night Live”, da NBC, a Google pagou para que o ator Kyle Mooney cria-se um vídeo exclusivo com o Google Pixel 3.

Jimmy Fallon apresenta o “Tonight Show” desde 2014. Antes, de 2009 a 2014, esteve à frente do “Late Night”, também para a NBC. Foi o regresso à televisão depois de ser presença regular no “Saturday Night Live” entre 1998 e 2004. Antes, o “Tonight Show” foi apresentado por personalidades como Jay Leno, Conan O’Brien e Johnny Carson.

Todos queremos saber mais. E escolher bem.

A vida é feita de escolhas. E as escolhas devem ser informadas.

Há uns meses o Observador fez uma escolha: uma parte dos artigos que publicamos deixariam de ser de acesso totalmente livre. Esses artigos Premium, por regra aqueles onde fazemos um maior investimento editorial e que mais diferenciam o nosso projecto, constituem a base do nosso programa de assinaturas.

Este programa Premium não tolheu o nosso crescimento – arrancámos mesmo 2019 com os melhores resultados de sempre.

Este programa tornou-nos mesmo mais exigentes com o jornalismo que fazemos – um jornalismo que informa e explica, um jornalismo que investiga e incomoda, um jornalismo independente e sem medo. E diferente.

Este programa está a permitir que tenhamos uma nova fonte de receitas e não dependamos apenas da publicidade – porque não há futuro para a imprensa livre se isso não acontecer.

O Observador existe para servir os seus leitores e permitir que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia. Por isso o Observador também é dos seus leitores e necessita deles, tem de contar com eles. Como subscritores do programa de assinaturas Observador Premium.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
25 de Abril

O Governo Ensombrado vai ao circo

Manuel Castelo-Branco
3.297

Se hoje é possível um programa como o Governo Sombra, foi porque o Copcon de Otelo não vingou. Porque apesar de serem “apenas” 17 vítimas mortais, as FP25 foram desmanteladas e os seus membros presos.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)