CDS-PP

CDS quer preços fixos para táxis do aeroporto de Lisboa

545

A proposta dos centristas tem como objetivo combater as fraudes associadas ao transporte de passageiros de e para o aeroporto. Medida conta com contributos da ANTRAL e da Federação Portuguesa do Táxi.

MAFALDA LEITAO/LUSA

O CDS quer mudar a forma como os táxis operam no Aeroporto Humberto Delgado, em Lisboa. Para isso, apresentou uma proposta, que vai ser discutida em reunião de câmara na quarta-feira, que pretende estabelecer preços fixos para as viagens de e para o aeroporto. “A ideia é criar duas coroas na cidade. A cada uma estará associado um preço, invariável, fixo. Assim, um passageiro que saia do aeroporto já sabe à partida quanto vai pagar, consoante se destine à coroa 1 ou à coroa 2″, explica o vereador centrista João Gonçalves Pereira.

No projeto, a que o Observador teve acesso, o partido não estabelece nenhum preço. “A proposta tem de ser aprovada primeiro. Os preços são discutidos depois com os profissionais do setor”, explica o também deputado centrista. Assegura que a proposta não pretende cavalgar a onda gerada pelo anúncio dos novos passes sociais. “Não tem nada a ver com isso. A proposta está a ser trabalhada há cerca de três meses e foi preparada depois da auscultação da Federação Portuguesa do Táxi e da ANTRAL, que deram os seus contributos”.

Além de alterar os preços praticados pelos taxistas que transportam passageiros de e para o aeroporto, o projeto do CDS prevê que esta alteração abranja também os Terminais de Cruzeiros do Porto de Lisboa. ” Os motoristas, muitas vezes, dão voltas a toda a cidade ou solicitam preços absurdos aos clientes que não estão familiarizados com o sistema. São uma minoria, é facto. Mas todos nós já ouvimos histórias. Isto acontece e põe em causa a imagem dos taxistas, da cidade e, no fundo, do país”, entende João Gonçalves Pereira.

É precisamente para tornar “o sistema mais simples, mais transparente e de fácil perceção” que os centristas avançaram com esta proposta. Trata-se de uma mudança de fundo na forma como os táxis operam quando o destino ou a origem da viagem é o aeroporto ou o terminal de cruzeiros da capital. O preço deixa de ser variável e passa a ser fixo.

Por beneficiar de uma tabela de preços fixa, o sistema vai poder aceitar diferentes formas de pagamento. Também aqui, o CDS pretende impulsionar a utilização de um método de pagamento que já existe, mas cuja utilização pode beneficiar do novo sistema: o Táxi Voucher. O nome é auto-explicativo. Ou seja, o cliente pode comprar um voucher antes de entrar no táxi e utilizá-lo para pagar a sua viagem. Sendo o preço atualmente variável, esta opção muitas vezes peca por dificilmente corresponder ao preço exato da viagem. Ora tornando os preços fixos, estes vouchers vão poder funcionar com mais eficácia, correspondendo ao preço relativo à coroa um ou à coroa dois.

A proposta conta com contributos tanto da Federação Portuguesa do Táxi como da ANTRAL. “Não se pode dizer que apadrinham a medida, mas os seus contributos foram tidos em conta”, resume o vereador lisboeta. Assim, acredita tratar-se de uma proposta equilibrada e que pode recolher o apoio e a concordância dos diferentes partidos representados na CML, onde o CDS é o segundo maior partido e, por inerência, o líder da oposição.

Todos queremos saber mais. E escolher bem.

A vida é feita de escolhas. E as escolhas devem ser informadas.

Há uns meses o Observador fez uma escolha: uma parte dos artigos que publicamos deixariam de ser de acesso totalmente livre. Esses artigos Premium, por regra aqueles onde fazemos um maior investimento editorial e que mais diferenciam o nosso projecto, constituem a base do nosso programa de assinaturas.

Este programa Premium não tolheu o nosso crescimento – arrancámos mesmo 2019 com os melhores resultados de sempre.

Este programa tornou-nos mesmo mais exigentes com o jornalismo que fazemos – um jornalismo que informa e explica, um jornalismo que investiga e incomoda, um jornalismo independente e sem medo. E diferente.

Este programa está a permitir que tenhamos uma nova fonte de receitas e não dependamos apenas da publicidade – porque não há futuro para a imprensa livre se isso não acontecer.

O Observador existe para servir os seus leitores e permitir que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia. Por isso o Observador também é dos seus leitores e necessita deles, tem de contar com eles. Como subscritores do programa de assinaturas Observador Premium.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: jmozos@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)