O treinador Pepa admitiu esta quinta-feira a “extrema dificuldade” que o Tondela vai encontrar no sábado no Estádio da Luz, mas manifestou a intenção de “surpreender o Benfica”, em jogo da 27.ª jornada da I Liga de futebol.

Temos de encarar, acima de tudo, os jogos, e neste caso faltam oito, como encaramos sempre, com uma estratégia bem definida, com os jogadores focados naquilo que podem e devem fazer dentro do campo e tentarmos surpreender o Benfica”, assumiu Pepa.

Em conferência de imprensa de antevisão para o jogo de sábado, às 20h30, no Estádio da Luz, o treinador ‘auriverde’ disse que “é preciso acreditar sempre” e lembrou a vitória conquistada na época passada na casa do Benfica, por 2-1.

“Mais do que aquilo que sabemos que vamos encontrar, que é uma montanha muito alta, temos acima de tudo que acreditar em nós, saber aquilo que temos de fazer dentro de campo e recordar, recordar que quando toda a gente pensava que era impossível, nós conseguimos no ano passado”, lembrou.

Pepa elogiou o treinador do Benfica, Bruno Lage, e o trabalho que tem feito com a equipa lisboeta, reconhecendo a “dificuldade extrema” que o Tondela vai enfrentar, mas prometeu levar uma “equipa unida, a jogar com responsabilidade, porque são três pontos que estão em disputa e são muito importantes” para ambas as equipas.

Pepa sabe que tem de ter “o critério e a capacidade de explorar bem o espaço” que o Tondela vai ter, uma vez que considera que “é aí que está a chave do jogo”, porque terá “40, 50 metros para explorar” e, nesse sentido, considerou que “o grande segredo é como sair dos primeiros cinco” metros.

O objetivo é conseguir em Lisboa os três pontos, para sair da zona de despromoção, até porque, admitiu que os pontos alcançados — 25 -, “não estão a corresponder ao trabalho feito” pelo Tondela, admitindo que “a época não está a correr, em termos de classificação e de pontos, como esperado”.

Pepa assumiu que, neste momento, “o objetivo é a manutenção”, nem que seja “no último jogo”, que se realiza no Estádio João Cardoso, frente ao Chaves que também está na zona de despromoção, e questionou a forma como a equipa gere a agressividade em campo.

Temos de olhar para nós e para dentro. E será que estamos a fazer as coisas bem feitas? Será que não estamos a chegar tarde à bola? […] Temos de analisar isso e temos nós de melhorar e mantermos os níveis de agressividade, mas, mais do que correr muito, temos que correr bem”, observou.

O técnico lembrou também “alguns erros que aconteceram” por parte dos árbitros, que “não dão para compreender”, mas, independentemente disso, assumiu a responsabilidade de “olhar para dentro, ter a humildade de reconhecer os erros, para poder melhorar e crescer” como equipa.

O Tondela alcançou a última vitória na 21ª jornada, frente ao Vitória de Guimarães, por 1-0, e desde então acumulou derrotas e empates, como na última ronda, com o lanterna-vermelha Feirense (1-1).

A equipa está em 16º e antepenúltimo lugar no campeonato, abaixo da ‘linha de água’, com 25 pontos, enquanto o Benfica é líder da prova, com 63, em igualdade pontual com o campeão FC Porto.