Salários

Os salários dos engenheiros vão continuar a crescer

1.462

Um estudo da Michael Page diz que a escassez da oferta melhora perspetivas, tanto na mobilidade de emprego como nos salários. Mantém-se a tendência de os engenheiros optarem por funções de gestão.

Carlos Andrade diz que a tendência na passagem da engenharia para a gestão é "uma prática comum"

AFP/Getty Images

“A tendência é que os salários continuem a aumentar mais do que a média nacional e a inflação prevista para as outras áreas”, afirma o senior executive manager da Michael Page na edição desta sexta-feira no Jornal Económico. Carlos Andrade diz ainda que a procura de profissionais das áreas de engenharia continua a sentir-se, e que muitas vezes chega a ser ultrapassado pela oferta — o que constitui um fator de pressão no que toca aos salários.

“Segundo os nossos estudos, estimamos uma inflação na ordem de 7 a 8%, em média, para este setor”. Esta tendência no crescimento dos salários nas profissões de engenharia começou há dois, três anos, e parece que vai continuar. Ainda assim, também está a ocorrer a passagem da engenharia para a gestão, que acaba por ser “uma prática comum”, admite Carlos Andrade.

“A verdade é que a maior parte dos engenheiros, ao fim de quatro ou cinco anos de experiência profissional, já procura tarefas de gestão. Os engenheiros veem isso como uma progressão natural da carreira, a evolução para tarefas de gestão”, justifica o responsável da Michael Page. Esta evolução acaba por ser “uma das grandes dificuldades das empresas”, uma vez que “grande parte dos seus engenheiros querem deixar de efetuar funções técnicas e passar para funções de gestão”.

Carlos Andrade explica ainda que para o bom momento salarial das engenharias contribui o reforço da capacidade produtiva de várias multinacionais, bem como o lançamento de projetos e empresas de âmbito industrial, e uma nova vaga de centros de investigação e desenvolvimento, centros tecnológicos e de competência.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Inovação

Uber: o entrepreneur vai nu?

Fernando Pinto Santos

O dinheiro dos investidores da Uber subsidia as viagens e é o que permite a oferta de preços competitivos. Isto é sustentável? É este o paradigma de empreendedorismo que desejamos?

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)