Rádio Observador

Sporting

Luiz Phellype, o goleador improvável com números que nem uma auditoria poderia prever

141

Chegou à Europa via Bélgica, fez uma época em Angola entre quatro clubes nacionais e chegou a Alvalade vindo da Segunda. De Paços trocados que entretanto acertaram – e leva quatro jornadas a marcar.

Luiz Phellype marcou nas últimas quatro jornadas, com os dois últimos golos a terem assistência de Acuña

AFP/Getty Images

O perfil das contratações do Sporting no mercado de inverno tinham tudo menos de Luiz Phellype – talvez com exceção da idade (25 anos). Tiago Ilori foi o regresso de um jogador formado no clube que se começava a perder por Inglaterra, Doumbia teve forte influência do scouting para chegar da Rússia, Borja veio também de um mercado mais alternativo (México) mas sendo já internacional pela Colômbia. Depois, apareceu o avançado brasileiro. Por valores mais modestos (500 mil euros), de um escalão mais modesto (Segunda Liga, onde jogava no Paços de Vítor Oliveira que está prestes a subir), com uma adaptação mais modesta. Hoje, três meses depois da estreia com o Feirense, afirma-se como grande revelação da equipa.

O brasileiro, que chegou à Europa via Bélgica (Standard Liège) e passou uma boa temporada em Angola ao serviço do Libolo entre as quatro equipas portugueses que representou – Beira-Mar, Estoril, Feirense e P. Ferreira –, chegou a Alvalade como alternativa ao titular indiscutível, Bas Dost. E foi assim que fez os primeiros encontros pelo Sporting, entrando na segunda parte (ou nos últimos minutos) para poupar o holandês ou para se juntar a ele quando o resultado não era o desejado. Depois, o gigante que foi o grande goleador leonino nas últimas duas épocas eclipsou-se entre problemas físicos e, desde que bisou em Chaves, Luiz Phellype soma já quatro jornadas consecutivas sempre a marcar, algo que tinha acontecido apenas seis vezes antes no conjunto verde e branco este século por Jardel, Liedson, Fredy Montero, Slimani, Bas Dost e Bruno Fernandes.

“Aceitei porque o Sporting demonstrou um grande interesse em mim e fez-me acreditar bastante no projeto. Foi o maior passo que dei até agora mas sei que foi a decisão mais acertada”. Quem chega do Brasil conhece a dimensão do Sporting, dos adeptos, da história e dos jogadores que passaram por aqui. Ficamos bastante satisfeitos por fazer parte de um clube deste tamanho. O Sporting precisa sempre de golos e vitórias, e acho que posso acrescentar nisso também. Quero retribuir toda a confiança que colocaram em mim com trabalho e vitórias. Estou em Portugal há cinco anos e sei bem o que me vai esperar”, tinha comentado o jogador nas primeiras declarações como reforço do Sporting, ainda antes do Natal.

Curiosamente, e numa altura em que se fala muito sobre a auditoria feita pela Baker Tilly ao Sporting (SAD e clube) entre junho de 2013 e junho de 2018 e que chegou ao domínio público – spoiler alert: por só ter chegado em dezembro de 2018, não há dados sobre Luiz Phellype –, o brasileiro foi protagonista indireto de mais um leak poucos dias antes de ser oficializado em Alvalade, com uma minuta de contrato em seu nome a circular entre alguns grupos mais fechados dos leões nas redes sociais.

No plano coletivo, e com o golo desta noite, o Sporting igualou a melhor série da temporada e aumentou também para sete o número de triunfos seguidos no Campeonato, a três do melhor registo do clube verde e branco este século (2005/06, com Paulo Bento). Em paralelo, e mais de um ano e meio depois, os leões ganharam para a Primeira Liga fora sem sofrer golos.

“Podia ter sido maior, deveria ter sido maior. O nosso jogo foi bom, criámos oportunidades, mas o último passe não foi bom o suficiente. Podíamos ter criado e marcado mais mas estou feliz com a vitória e os jogadores estiveram bem. Foi uma vitória importante, mas era também importante ter marcado mais. Série de triunfos seguidos? Todas as equipas têm bons e maus períodos, nós não queremos os maus… Já expliquei que foi uma fase muito difícil para nós, com problemas físicos pelo meio; agora estamos bem e felizes a jogar futebol”, resumiu Marcel Keizer na flash interview da SportTV.

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: broseiro@observador.pt
Trabalho

Ficção coletiva, diz Nadim /premium

Laurinda Alves

Começar reuniões a horas e aprender a dizer mais coisas em menos minutos é uma estratégia que permite inverter a tendência atual para ficarmos mais tempo do que é preciso no local de trabalho.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)