O homem de nacionalidade alemã que foi resgatado ao mar na tarde de quinta-feira na praia da Bordeira, em Aljezur, acabou por morrer horas depois no hospital de Lagos, disse esta sexta-feira à Lusa fonte da Marinha.

De acordo com o capitão do Porto de Lagos, Conceição Duarte, o homem, com cerca de 50 anos, tinha sido transportado para o hospital depois de resgatado do mar pelos nadadores-salvadores da viatura Amarok, ao início da tarde de quinta-feira. Segundo o responsável, o alerta foi dado por familiares pelas 13h30, quando deixaram de ver o homem, arrastado pela ondulação na praia da Bordeira, no distrito de Faro.

O homem, com cerca de 50 anos, esteve cerca de 20 minutos no mar sem ser localizado, mas acabou por ser “avistado dentro de água” e “recuperado para terra pelos nadadores-salvadores da viatura Amarok”, veículo todo-o-terreno utilizado pelo Instituto de Socorros a Náufragos (ISN) para prestar socorro nas praias, esclareceu a AMN num comunicado.

O banhista que desapareceu na praia da Bordeira, em Lagos, é um homem de nacionalidade alemã e tem cerca de 50 anos de idade”, referiu ainda a AMN num comunicado.

As autoridades receberam o alerta às 14h15 e enviaram para o local elementos do piquete da Polícia Marítima de Lagos, uma embarcação semirrígida da Estação Salva-vidas de Sagres, os Bombeiros de Aljezur, o INEM e a Viatura Amarok do ISN.

Segundo a ANM, foram feitas “manobras de reanimação no local”, juntamente com elementos do Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM) e dos Bombeiros de Aljezur, que fizeram depois o seu “transporte para uma unidade hospitalar em estado grave”.