Carros e bicicletas partilham as ruas e as estradas da mesma forma como os ciclistas e os peões dividem os passeios e as passadeiras. Todos deveriam dar provas de civismo e respeito pela lei – o que nem sempre acontece –, oferecendo aos outros elementos com que partilham as vias o mesmo respeito com que gostariam de ser tratados. Porém, as distracções acontecem e há diferentes formas de lidar isso…

Dois ciclistas que seguiam numa ciclovia sentiram-se incomodados pelo facto de um condutor estar a invadir a faixa que lhes é reservada. Para mais, sem sinalizar com luzes de mudança de direcção que pretendia virar à direita. O ciclista que seguia à frente apercebeu-se da manobra do carro e desviou-se tanto quanto possível, evitando o embate.

Já o ciclista que seguia atrás encontrava-se a registar tudo, pois estava equipado com uma câmara de vídeo. Assim que viu o automóvel começar a rodar dentro da ciclovia, apressou-se a gritar “pay attention” e com toda a razão, pois quem vai ao volante deve ter atenção à estrada e certificar-se se está ou não a ser ultrapassado antes de mudar de direcção.

O ridículo da situação é que o ciclista que recomendou ao condutor que tivesse atenção… distraiu-se! Não viu que ciclista da frente travou (sem motivo algum e bem no meio da ciclovia) e embateu nele. Mais caricato ainda é que o primeiro ciclista, que até ali tinha feito tudo bem – antecipando os problemas e evitando um acidente –, entendeu que a culpa de lhe terem batido por trás era do condutor e não devida em parte ao facto de ele ter decidido parar de repente, sem primeiro se certificar que o podia fazer sem riscos.