A tarefa não é fácil para Virginie Viard. De braço direito de Karl Lagerfeld, a designer passou, em fevereiro, a diretora criativa da Chanel, uma maison histórica a preparar-se para encerrar um período também ele histórico. A coleção cruise 2020 é, por isso, um momento de viragem. É possível que tenha sido iniciada pelo próprio Lagerfeld e concluída por Viard, já a trabalhar a solo. Em vez das habituais escapadinhas que muitas marcas aproveitam para fazer sempre que se trata de apresentar uma coleção cruise — no início desta semana a Dior viajou até Marraquexe e em 2016 foi a própria Chanel a fazer um desfile em Havana –, este ano, a marca ficou-se pela sua segunda casa, o Grand Palais, em Paris.

O desfile da coleção cruise 2020 da Chanel, esta sexta-feira, no Grand Palais, em Paris © CHRISTOPHE ARCHAMBAULT/AFP/Getty Images

Depois de um pequeno-almoço oferecido aos convidados, o desfile decorreu na área central do palácio. O cenário recriou uma estação de comboios ao estilo beaux-arts, dividida em três destinos — Saint Tropez, Edimburgo e Veneza. Apesar do exercício criativo, a estrutura ficou aquém das cenografias colossais a que a Chanel habituou o mundo.

A coleção assumiu contornos bem práticos e até quotidianos, pelo menos mais do que se esperava, já que uma coleção cruise serve, basicamente, para ir de férias. Os requintes e detalhes, tão essenciais na linguagem de Lagerfeld, parecem ter dado lugar a peças mais limpas e a um guarda-roupa essencialmente utilitário. Os laços foram uma constante durante o desfile. Em pregadeiras e tops, assumiram diferentes tamanhos e foram do mero acessório ao elemento central de alguns coordenados. Os bordados e pedrarias deram origem a padrões florais a três dimensões. De cinturas quase sempre marcadas, a própria paleta de cores foi também ela uma viagem a todo o vapor — dos pretos, brancos e castanhos para uma escala de rosas e azuis.

A atriz Keira Knightley (grávida do segundo filho) e a ex-manequim Claudia Schiffer estiveram no desfile © Getty Images

A assistir ao desfile estiveram algumas caras conhecidas. Claudia Schiffer, Caroline de Maigret, Vanessa Paradis e Keira Knightley. A manequim portuguesa Maria Miguel voltou a desfilar para a marca. A Chanel regressa à passerelle no início de julho, aquando a temporada de apresentações de alta-costura para a próxima estação fria. Tudo indica que será a primeira coleção totalmente concebida por Virginie Viard, de 57 anos.

Detalhe de um dos coordenados da coleção © Pascal Le Segretain/Getty Images

Viard chegou à Chanel em 1987, quatro anos após Lagerfeld ter assumido a direção criativa de maison. Começou como estagiária, recomendada por um camareiro do príncipe Rainier. A designer tornou-se, desde então, o braço direito do criador, que morreu em fevereiro deste ano, aos 85 anos. Virginie afirmou recentemente que não gosta de ser o centro das atenções, embora, nos últimos meses, tenha dado a cara pela marca no final dos desfiles. Aconteceu novamente esta sexta-feira, quando apareceu na sala para agradecer os aplausos, acontecerá a cada desfile da Chanel, daqui para a frente.

Na fotogaleria, veja os looks do desfile da Chanel coleção cruise 2020.