A partir desta terça-feira, dia 19, Virginie Viard é a primeira mulher desde Coco Chanel a comandar os destinos da marca francesa a solo. A ascensão da diretora de estúdio da Chanel acontece numa altura em que o mundo da moda se despede de um dos grandes: Karl Lagerfeld morreu esta terça-feira, aos 85 anos.

Outro nome além de Virginie Viard não faria, no imediato, sentido. Se Karl Lagerfeld mudou o rumo da Chanel quando entrou para a direção da marca em 1983, o contributo da francesa chegou pouquíssimo tempo depois, em 1987. A chegada de Viard à marca tem que se lhe diga: foi um camareiro da príncipe Rainier, amigo de família, quem a recomendou para um estágio ao lado de Lagerfeld, na área de bordados da Alta Costura, conta a Marie Claire.

Desse estágio nasceu uma relação duradoura, que chegou aos dias de hoje. A dupla tornou-se inseparável, até mesmo quando Lagerfeld deixou a Chanel pela Chloé nos anos 90 por um curto período de tempo — onde ele ia, ela seguia, dando fundamento à convicção de Karl, de que Viard era a sua “mão direita” e a sua “mão esquerda”, para frisar a sua relevância no trajeto do designer e da própria casa.

Ela é a minha diretora, a minha mão direita e a minha mão esquerda”, chegou a dizer Karl Lagerfeld em entrevista à Elle norte-americana, em novembro do ano passado.

A nova diretora criativa da Chanel no desfile de primavera-verão para 2019, em janeiro. ANNE-CHRISTINE POUJOULAT/AFP/Getty Images

A missão de Viard, como ela fazia questão de dizer, era ajudar a tornar real a visão de Karl Lagerfeld, ao garantir que todos os membros da equipa fossem capazes de traduzir e interpretar os desenhos feitos à mão por Lagerfeld. Mais do que isso, Viard ajudava a escolher modelos e participava nos retoques finais que antecediam todos os desfiles.

À Elle, Viard admitiu recentemente que não gosta de estar no centro das atenções, mas foi precisamente isso o que aconteceu num desfile em outubro último, no Grand Palais, quando Viard juntou-se a Lagerfeld para a vénia final de agradecimento — talvez um prenúncio do que estaria para acontecer, que ficou ainda mais vincado quando Lagerfeld não compareceu no último show da marca, em janeiro.

Karl Lagerfeld morreu esta terça-feira aos 85 anos. A sua sucessora, e colaboradora próxima ao longo de mais de 30 anos, foi anunciada poucas horas depois.