O verniz das relações entre as duas empresas sul-coreanas estalou de forma definitiva quando a LG Chem, através da sua subsidiária americana LGCMI, informou que tinha sido vítima de roubo de propriedade intelectual. A queixa deu entrada a 29 de Abril, na Comissão de Comércio Internacional dos EUA, bem como no tribunal de Delaware, acusando a SK Innovation de “apropriação de segredos comerciais, interferência ilegal e obtenção de vantagens económicas ilícitas”.

Segundo a LG Chem, entre 2016 e 2019, a SK teve acesso a documentos secretos da LG, qualquer coisa entre 400 e 1.900, ao contratar 77 empregados da LG. O rival sul-coreano afirma ainda que as razões dessa contratação passaram pelos funcionários levarem com eles os segredos da empresa para a qual antes trabalhavam.

A LG Chem é um “monstro” na fabricação de baterias para automóveis eléctricos. Mas se a SK Innovation era uma empresa menor há três anos, hoje é das que possui um dos maiores potenciais de crescimento. A sua capacidade de produção de acumuladores é actualmente de 5 GW, mas promete atingir 100 GW dentro de cinco anos.

As trocas de galhardetes entre os dois fabricantes sul-coreanos de baterias não são novidade, já que recentemente a LG processou a SK no país de origem. A razão das queixas tinha igualmente a ver com roubo e o supremo tribunal acabou por dar razão à LG. Resta saber se a queixa nos tribunais americanos vai igualmente pender a favor da LG.