Um total de 36 militares vão apoiar a Proteção Civil no terreno em ações de vigilância de prevenção de incêndios entre os dias 11 e 14 de maio face à anunciada subida acentuada de temperatura, anunciou em comunicado o Estado-Maior-General das Forças Armadas.

As operações visam oito distritos de Portugal Continental (Beja, Bragança, Évora, Guarda, Lisboa, Portalegre, Santarém e Setúbal) e contam com um total de nove patrulhas das Forças Armadas. Dos 36 militares envolvidos, 28 são do Exército e oito pertencem à Marinha.

“Nesta fase, os militares das Forças Armadas irão ser empenhados em operações de vigilância terrestre e, em caso de necessidade, poderão ser empenhados em ações de pós rescaldo, ou de apoio geral às operações de proteção e socorro que possam vir a ser desencadeadas”, refere o comunicado.

O reforço da vigilância terrestre e patrulhamento dissuasor surge no seguimento de um pedido de apoio da Autoridade Nacional de Proteção Civil ao Estado-Maior-General das Forças Armadas.