Parece uma associação, à partida, difícil de conceber. Numa recente entrevista, a norte-americana Taylor Swift revelou que algumas das suas músicas são inspiradas na série “Guerra dos Tronos”, cuja última temporada aproxima-se a passos largos do fim. “Na altura estava a trabalhar em ‘Reputation’ [sexto álbum de estúdio da cantora, lançado em novembro de 2017] e não falava sobre isso nas entrevistas, então não revelei que muitas das músicas foram influenciadas pela série [“Guerra dos Tronos”], disse a artista de 29 anos à publicação Entertainment Weekly. “Estas músicas eram meio baseadas nas coisas pelas quais estava a passar, mas vendo-as através de um filtro de ‘Guerra dos Tronos'”, continuou.

Taylor Swift contou que começou a ver a série da HBO em 2016 e que, apesar do atraso, conseguiu evitar spoilers. A cantora adicionou várias canções ao álbum de 2017, as quais foram impactadas pela saga que vai agora na sua oitava e última temporada.

“‘Look What You Made Me Do’ é literalmente a lista de mortes de Arya Stark”, disse durante a entrevista. Olhando com relativa atenção para a letra da música, há um verso que se destaca e que pode de alguma forma estar associada à personagem interpretada por Maisie Williams: “I’ve got a list of names and yours is in red, underlined” (o que em português significa “Tenho uma lista de nomes e o teu está a vermelho, sublinhado”). Esta música em particular tem “Cersei vibes” e alguma alusão a Daenerys.

O tema “King of My Heart”, diz a cantora, é inspirado na relação entre Khal Drogo e Daenerys, referente à primeira temporada –a personagem interpretada por Jason Momoa morre no décimo episódio. “‘I Did Something Bad’ escrevi depois de Arya e Sansa terem conspirado para matar o Littlefinger”, acrescentou.

Quando questionada sobre quem acha que se vai sentar no trono de ferro, a cantora apontou o nome de três mulheres poderosas na série. “Daenerys, Arya ou Sansa,” disse, citada pelo Daily Mail. “Mas, sendo realista, acho que a Sansa tem um conjunto de habilidades e a capacidade de delegar e de pôr uma cara corajosa”, acrescentando que Arya poderia ser “a mão do rei”.