Moçambique está “à espera da União Europeia” para chegar a um novo acordo de pescas, disse o ministro do Mar, Águas Interiores e Pescas, Agostinho Mondlane, assegurando “prontidão” do lado moçambicano.

O governante responsabilizou a União Europeia pelo impasse relativo a um novo acordo, que se mantém desde 2015: “Estamos à espera da União Europeia, nós estamos sempre em prontidão”, afirmou Mondlane à agência Lusa, à margem do encontro Oceans Meeting, que decorre esta quinta e sexta-feira em Lisboa.

“Foi muito importante ouvir aqui o comissário europeu para as Pescas e Assuntos Marítimos [Karmenu Vela] falar da necessidade de observância das Medidas do Estados do Porto da FAO [um acordo internacional que visa combater a pesca ilegal e não declarada] porque um dos aspetos que estamos a negociar com a União Euroeia é que o acordo respeite essas medidas”, assegurou.

Em fevereiro, Mondlane acusou a UE de falta de transparência e de impedir a aplicação de cláusulas relativas à fiscalização de capturas a bordo das embarcações, acusações essas negadas pelas autoridades europeias.

Sem querer detalhar em concreto o que está a ser negociado “porque o assunto está na mesa negocial”, o ministro reforçou: “O que posso dizer é que estamos sempre em prontidão à espera da União Europeia para fecharmos isso”.

Sobre os obstáculos que é necessário ultrapassar para concluir as negociações, Mondlade considerou que as explicações devem ser dadas pela União Europeia. “Do nosso lado não falta nada, todas as cartas estão na mesa”, garantiu o responsável moçambicano com a tutela das pescas.