Dois anos depois de apresentar o Urban EV, de certa forma a lembrar as origens do Civic, a Honda levou à última edição do Salão de Genebra uma evolução desse concept, o e Prototype. Como seria de prever, a fazer fé na forma escrupulosa como o construtor nipónico tende a seguir as suas próprias regras, a versão de produção do primeiro eléctrico da Honda perderia o “Prototype”, sendo comercialmente designada apenas por “e”. A suposição foi confirmada pela própria empresa no início de Maio, ou seja, cerca de quatro meses antes de o modelo ser oficialmente desvendado no Salão de Frankfurt.

Uma antecipação que pode ser explicada pelo facto de, na Alemanha, já estar disponível o configurador online do Honda eléctrico, oferecendo aos clientes a possibilidade de optarem por uma de cinco cores para a carroçaria (galeria abaixo). Os restantes mercados europeus aos quais é dada a possibilidade de avançar já para a reserva do Honda e são o Reino Unido, França e Noruega.

10 fotos

Mas as especificações técnicas do “e” permanecem na sombra, pois a marca limita-se a falar numa autonomia superior a 200 km com uma carga completa, o que é muito vago, acrescentando apenas que o tempo de carregamento é rápido, com meia hora ligado à corrente a colocar a bateria nos 80%.

O preço pelo qual será proposto o modelo rétro também permanece uma incógnita, o que não terá impedido o primeiro eléctrico a bateria da Honda de reunir mais de 25.000 registos de interesse em toda a Europa, segundo Jean-Marc Streng, director-geral da Divisão Automóvel da Honda Motor Europe.

10 fotos

Como vem sendo habitual neste tipo de propostas, a Honda já está a aceitar reservas para um modelo do qual muito pouco se sabe, excepto que pouco diferirá do protótipo. Só que, ao contrário da maioria dos fabricantes que adoptaram esta estratégia para se financiarem, o construtor japonês exige um depósito de 800€ e não de 1.000€. A quantia será depois deduzida na aquisição do veículo ou reembolsada em caso de desistência da reserva.