Os grupos parlamentares de PSD, PS e CDS-PP votaram esta sexta-feira contra resoluções de BE e PEV para terminar a concessão do serviço ferroviário Lisboa-Setúbal e integrá-lo na CP, durante a sessão plenária da Assembleia da República. Tanto o projeto bloquista como o do partido ecologista foram chumbados pelos deputados sociais-democratas, socialistas, democratas-cristãos e pelo deputado não inscrito Paulo Trigo Pereira, enquanto o deputado único do PAN se absteve e BE, PCP e PEV votaram a favor.

Os textos recomendavam ao Governo pronunciar-se contra a continuação da Parceria Público-Privada entre o Estado e a Fertagus além do prazo já estabelecido até 31 de dezembro de 2019 e, passando aquele serviço de transporte público para a esfera da CP, com esta empresa e a EMEF (Empresa de Manutenção de Equipamento) a integrar os funcionários da Fertagus.

O parlamento foi unânime na aprovação de um projeto de resolução do PSD para a proteção das atividades desenvolvidas pelas federações desportivas.

Outra resolução dos sociais-democratas, que recomendava a concretização urgente de uma renovação tecnológica no centro regional da RTP-Madeira, foi igualmente aprovada por todos os deputados, à exceção do deputado não inscrito Paulo Trigo Pereira, que se absteve.

Finalmente, novo projeto de resolução do PSD para proteger os compradores de imóveis em caso de insolvência dos construtores civis, foi também aprovado apesar das abstenções de PS, BE, PCP e PEV. PSD, CDS-PP, o socialista Ricardo Bexiga e o não inscrito Paulo Trigo Pereira votaram a favor.