Rádio Observador

PSD

Luís Montenegro vai para França estudar liderança

4.356

O antigo líder parlamentar do PSD entrou num programa de gestão avançada em França. Os mais próximos de Montenegro acreditam que tudo é parte da estratégia para chegar à liderança do PSD.

JOSÉ COELHO/LUSA

Luís Montenegro vai para França estudar num programa de gestão avançada para executivos promovido pelo Instituto Europeu para Administração de Empresas, em Fontainebleau, conta o semanário Expresso.

Em declarações ao jornal, Luís Montenegro diz que vai participar no curso de liderança “com o objetivo firme” de se “qualificar mais para o futuro, em todas as suas dimensões”.

Esta pode ser uma estratégia de preparação para voltar a enfrentar Rui Rio nas eleições para a direção do Partido Social Democrata (PSD), de que já foi líder parlamentar. Conforme apurou o Expresso, Luís Montenegro optou pela discrição desde que convocou um Conselho Nacional Extraordinário para apreciar uma moção de confiança — um desafio que foi negado por Rui Rio: “Nunca participei nem participaria em golpes palacianos. Nunca participaria em tentativas de enfraquecimento de uma liderança legítima”, respondeu.

Segundo o jornal, apesar de a tentativa para tirar Rui Rio da liderança do PSD ter falhado, Luís Montenegro não tenciona desistir. Uma fonte do jornal disse que o antigo líder parlamentar social-democrata “está preocupado com o futuro” e que, por ser “mais frio e racional do que parece”, “já tem tudo pensado” no que toca aos passos que vai tomar para derrotar Rui Rio.

As fontes consultadas pelo Expresso sugerem que Montenegro manteve em segredo o plano de estudar liderança em França no “Advanced Management Programme” já a partir do próximo mês. Mas uma delas sublinha que isso mesmo é “a demonstração de que ele se afastou propositadamente do espaço público para se preparar para líder do PSD e primeiro-ministro”.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: mlferreira@observador.pt
PSD/CDS

35 horas: outro vazio de representação /premium

Alexandre Homem Cristo

PSD e CDS já não defendem a convergência dos sectores público e privado (40 horas de trabalho semanais). Quem representa, então, os eleitores que compreenderam a sua medida em 2013? Ninguém.

Serviços públicos

O melhor dislate do ano

Fernando Leal da Costa

Que mania, a dos nossos concidadãos, que insistem em usar os serviços que lhes disseram ser públicos. E, logo que precisam, vão todos ao mesmo tempo. É muito irritante.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)