Rádio Observador

Economia

Já conhece a marca que faz sucesso neste ano em Portugal?

Num movimento de contraciclo, a SEAT fecha o primeiro semestre com o maior número de vendas da sua história.

JOAN MONFORT

No primeiro semestre de 2019, a SEAT Portugal registou um aumento de vendas de 10,2%. Um feito admirável, num momento em que o mercado regista um recuo de 4,4%, depois de um crescimento de 2,6% em 2018 (somando o sexto ano consecutivo de aumento de vendas e o maior valor de vendas nos 68 anos de história da empresa).

No passado mês de Junho, a Marca apresentou um aumento de vendas de 5,8%, para um total de 1192 automóveis vendidos (contra 1127 em 2018) e, entre janeiro e junho a SEAT entregou 6.249 viaturas, contra os 5.669 automóveis  do ano anterior. Coloca-se, assim, em oitavo lugar das marcas mais vendidas em Portugal, com uma quota de mercado de cerca de 5%.

Segundo João Borrego, Diretor de Vendas da SEAT Portugal, “este crescimento tem vindo a acontecer de forma sólida, apesar do ambiente económico complexo, e a SEAT continua a ganhar quota de mercado, graças à sua ofensiva de produto, em especial à gama SUV – Arona, Ateca e Tarraco”.

DADOS VENDA DE CARROS 

Período: Janeiro a maio de 2019 / Período homólogo

  • Alemanha – 52.900 (+14,6%
  • França – 14.600 (+16,5%)
  • Itália – 12.400 (+16%)
  • Espanha –  52.500 (+4%)
  • Reino Unido – 31.000 (+5,5%)

Os outros“culpados”

O setor automóvel acompanha de perto a evolução da economia e, segundo a ACAP – Associação Do Comércio Automóvel De Portugal, as perspetivas para 2019 são de estagnação, ou mesmo de descida do mercado. A SEAT apresenta-se assim, efetivamente, em contraciclo. E, embora estes valores digam respeito à totalidade de vendas, a verdade é que a CUPRA registou um novo recorde e é, também uma das responsáveis pelo sucesso global da marca.

Em maio deste ano, Wayne Griffiths, Vice-Presidente Comercial da SEAT e CEO da CUPRA, declarava a este propósito aspirar a manter a tendência de crescimento a dois dígitos nos próximos meses. “Avançamos em todos os principais mercados e, em particular, na Alemanha, França e Itália, com aumentos de cerca de 15%. A gama SUV continua a produzir grandes resultados, e a CUPRA está a superar as nossas expectativas globais e está-se a tornar cada vez mais relevante em países como Alemanha, Reino Unido e Suíça”. A observar pelo comportamento da Marca no mês seguinte ao das suas declarações, acreditamos facilmente nas suas previsões.

 Novidades ao largo

Neste caminho seguro e continuado, rumo ao sucesso, a SEAT lançará dois novos modelos no mercado no segundo semestre deste ano. O novo Tarraco será o primeiro a ver a luz do dia, a 18 de setembro, na cidade de Tarragona, no Tarraco Arena, e vai juntar-se aos irmãos Arona e Ateca. Seguir-se-ão o CUPRA Ateca, o primeiro novo modelo da marca CUPRA, e o Arona TGI, o primeiro SUV do mercado alimentado por gás natural comprimido. A versão mais sustentável do Arona juntar-se-á, nas últimas semanas do ano, à gama GNC da SEAT, que conta com o Mii, o Ibiza e o Leon.

Não há dúvida de que o horizonte de sucesso da SEAT está bem definido e é para lá que todos os caminhos convergem.

Saiba mais sobre inovação Seat em https://observador.pt/seccao/inovamente/

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Conteúdo produzido pelo Observador Lab. Para saber mais, clique aqui.
Partilhe
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: obslab@observador.pt
Combustível

Os motoristas e o mercado

Jose Pedro Anacoreta Correira

Quando o Governo não consegue instrumentalizar politicamente os sindicatos, passa ao ataque. A luta e defesa dos trabalhadores é só para trabalhadores do Estado e filiados na CGTP.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)