Um relatório da NATO revelou acidentalmente a localização de armas nucleares dos Estados Unidos da América na Europa. De acordo com o diário belga DeMorgen, os diferentes locais constavam num relatório inicialmente publicado em abril — e entretanto eliminado — com o nome “Uma nova era para a dissuasão nuclear? Modernização, controlo de armas e forças nucleares aliadas” e fazia referência às cerca de 150 armas armazenadas na Europa.

“Estas bombas estão armazenadas em seis bases norte-americanas e europeias — Kleine Brogel na Bélgica, Büchel na Alemanha, Aviano e Ghedi-Torre na Itália, Volkel na Holanda e İncirlik na Turquia”, lia-se no relatório. A respetiva informação já não consta na nova versão documento da autoria do Comité de Defesa e Segurança da Assembleia Parlamentar da NATO, tornada pública a 11 de julho.

Ao jornal The Washington Post uma fonte oficial da NATO disse que o documento não era propriamente daquela organização, tendo sido publicado pela Assembleia Parlamentar da NATO. A mesma fonte acrescentou: “Não comentamos detalhes da postura nuclear da NATO”.

Apesar de os especialistas garantirem que a presença das armas nucleares é amplamente conhecida na comunidade internacional, a sua localização exata tem sido mantida em segredo. Ainda assim, o descuido fez com que a emissora alemã RTL News escrevesse “NATO revela o segredo mais mal guardado da Holanda”. Já o jornal belga DeMorgen optou pelo título: “Finalmente preto no branco: existem armas nucleares americanas na Bélgica”. O The Washington Post, por sua vez, fala naquela que parece ser a confirmação de um segredo há muito conhecido.