Só tinha acontecido uma vez desde 2002 e com a Espanha, voltou a acontecer agora com Portugal – e se o final for o mesmo, a Seleção Nacional tem razões para sorrir. Depois da derrota com a Inglaterra em 2017 e da vitória frente à Itália em 2018, a equipa Sub-19 conseguiu pela terceira edição consecutiva chegar ao jogo decisivo do Campeonato da Europa da categoria, após golear a Rep. Irlanda por 4-0 no culminar de um trajeto onde sofreu apenas um golo e marcou 22 em cinco jogos realizados.

Portugal é campeão da Europa de Sub-19 ao vencer a Itália por 4-3 em final de loucos

Depois da vitória frente à Itália, do empate com a Espanha e da goleada diante da Arménia na fase de grupos, Portugal acabou por ter uma das partidas mais conseguidas desta campanha, dominando por completo uma Rep. Irlanda que começou com as linhas demasiado baixas e apenas mudou após o intervalo, quando já tinha dois golos de desvantagem.

Vítor Correia, pouco depois da meia hora, inaugurou o marcador de grande penalidade (31′), já depois de dois remates de fora da área de Fábio Vieira que levaram muito perigo à baliza de Maher (22′ e 26′). Todavia, e entre um jogo de sentido único à exceção de dois minutos, os irlandeses tiveram duas oportunidades soberanas para conseguirem empatar o encontro, salvas por Costinha em cima da linha (33′) e pela trave da baliza de Celton Biai (34′) sem que nada o fizesse prever. A segunda pausa para hidratação acabou por fazer bem ao conjunto de Filipe Ramos, que voltou a agarrar no jogo e aumentou a vantagem no início dos descontos antes do intervalo, com Gonçalo Ramos a cabecear ao segundo poste sozinho para o 2-0 (45+2′).

No segundo tempo, com Portugal a controlar o jogo e a maior propensão atacante que o adversário foi esboçando sem sucesso, Gonçalo Ramos bisou num remate forte de primeira após grande saída rápida em transição com a bola a passar pelos pé de Vítor Ferreira e João Mário até ao 3-0 sem hipóteses do avançado do Benfica (59′). A Seleção geriu depois a vantagem, poupou alguns dos jogadores chave da equipa e teve como único ponto negativo o problema no joelho do guarda-redes Celton Biai. Nos descontos, Gonçalo Ramos, num trabalho individual na área, chegou mesmo ao hat-trick (90+5′) que fechou a goleada.

Portugal vai agora voltar a defrontar no sábado a Espanha, que venceu a França por 4-3 no desempate por grandes penalidades após o nulo no final do prolongamento. E voltando ao exemplo dos espanhóis no arranque do texto, também essa série de três finais consecutivas começou com uma derrota (França, 2010) e teve a seguir dois triunfos (Rep. Checa, 2011 e Grécia, 2012).

Um Pássaro a voar que deixou Portugal com o pássaro na mão: Seleção mais perto das meias do Europeu Sub-19