“Uma noite para esquecer” e “uma noite muito difícil”. Marcel Keizer foi de poucas palavras, mas não escondeu a desilusão com a derrota do Sporting por 5-0 contra o Benfica na final da Supertaça Cândido de Oliveira. O treinador dos leões admitiu que a equipa teve “boas chances” para marcar, mas que, mesmo assim, não foi o suficiente para impedir um resultado tão pesado. “Nunca desistimos de tentar marcar, mesmo após estarmos a perder por dois e três golos. O Benfica também criou muitas oportunidades e conseguiu marcar. É uma noite muito difícil”, referiu na zona de entrevistas rápidas.

Depois do jogo vários adeptos do Sporting quiseram demonstrar o seu descontentamento com a equipa: ouviram-se insultos, assobios, arremessaram-se cadeiras e mostraram-se lenços brancos. Para o treinador holandês é apenas “a emoção no futebol”. “No último jogo da outra época contra o FC Porto [para a final da Taça de Portugal] toda a gente estava contente. Agora estão todos desapontados. É futebol”, explicou.

Claro que o 5-0 mostra uma noite muito má para nós. Na primeira parte tivemos muito boas oportunidades, depois do 2-0 ficou demasiado aberto. A minha equipa procura sempre marcar, mesmo depois do 2-0, do 3-0. Procurámos sempre o golo. Jogando contra o Benfica, que cria muitas oportunidades, sofremos cinco. Foi uma noite muito difícil”, resumiu.

A próxima semana, que marca o início do campeonato, “vai ser muito difícil”, admite o técnico dos leões.

Quando questionado sobre o futuro de Bruno Fernandes no Sporting, Keizer deixou para a Direção responder à pergunta, mas admitiu a importância do médio português na equipa. “O Bruno Fernandes é um jogador importante. Se vai ficar? Não é uma pergunta para mim, mas para a Direção”.