Primeiro estavam desaparecidos, depois tornaram-se suspeitos de homicídio e agora foram encontrados mortos. A polícia canadiana encontrou esta quarta-feira dois corpos que acredita serem de Bryer Schmegelsky e Kam McLeod, os dois jovens de 18 e 19 anos que eram suspeitos de três homicídios no Canadá e levaram a duas semanas de uma caça ao homem. A confirmação foi dada pela polícia canadiana no Twitter.

Os dois jovens foram dados como desaparecidos a 19 de julho, depois de o seu carro ter sido encontrado incendiado numa estrada perto do lago Dease, British Columbia. Se as versões iniciais indicavam que os dois adolescentes tinham sido vítimas de um crime, mais tarde, a história revelou ser outra: afinal, eram suspeitos do homicídio de um casal de turistas — Lucas Fowler e Chynna Deese — e de um outro homem — Len Dick –, tendo ambos os crimes ocorrido na zona onde o carro foi encontrado.

Os dois corpos, acrescentou a polícia esta quarta-feira, foram encontrados às 10 horas locais no norte de Manitoba, onde as autoridades acreditavam que estavam escondidos. À BBC, a comissária Jane MacLatchy referiu que está “confiante” de que se tratam mesmo dos corpos destes jovens. “Mas ainda temos que os identificar oficialmente e para isso têm de ser autopsiados”, referiu.

Ao longo das últimas duas semanas, os nossos agentes trabalharam incansavelmente na resolução dos homicídios na British Columbia”, acrescentou MacLatchy, sublinhando que as autoridades “nunca desistiram nas buscas, seguiram todas as pistas, consideraram todas as opções e utilizaram todos os recursos disponíveis”.

No início da operação, as autoridades chegaram a receber mais de 200 indicações de pessoas que diziam ter informações sobre o paradeiro destes dois jovens, sendo as casas de campo, cabanas e vias navegáveis os locais prioritários para as buscas. Depois de saber de que o seu filho era suspeito de três homicídios, o pai de Bryer Schmegelsky não escondeu a desilusão e referiu, em entrevista aos meios de comunicação canadianos, que tem consciência de que o seu filho iria “morrer hoje ou amanhã”. “Ele está numa missão suicida. Vão desaparecer num ápice de glória. Acreditem em mim, é o que eles vão fazer”, acrescentou Alan Schmegelsky.

Schmegelsky contou também a história da família e como Bryer conheceu Kam McLeod na escola primária. Desde aí, tornaram-se inseparáveis. Nas palavras do pai, os dois jovens eram “bons rapazes” que não se metiam em sarilhos, mas o seu filho Bryer tinha problemas em casa, especialmente depois do divórcio dos pais. “Ele não foi acarinhado. Não tem carta de condução. Nunca aprendeu a andar de bicicleta e ansiava por amor e carinho”, descreveu, acrescentando que as suas “influências não foram boas”: “O YouTube e os jogos de vídeo”.

Na sexta-feira passada, recorde-se, as autoridades estavam a seguir uma pista nova que indicava o rasto destes dois jovens: foi encontrado um barco a remos num rio perto de Gillam, na cidade do Manitoba, onde a polícia concentrou as buscas pelos suspeitos. No mesmo local tinha sido ainda encontrado um barril de água que poderia pertencer aos fugitivos.