Milford Proving Ground, a pista de testes da General Motors (GM) desde 1924, tem assistido a uma verdadeira roda-viva de experiências com… modelos de outras marcas. Ninguém sabe ao certo o que o gigante norte-americano estará a preparar, mas é evidente que isso passa por dissecar a tecnologia eléctrica da concorrência, pois não só um Tesla Model X foi apanhado a rodar, como agora há registos de situação idêntica com um Audie-tron. Pelo meio, terá sido testado um Jeep Wrangler Unlimited, cuja análise teve direito a uma série de dados recolhidos por sensores.

Casos de benchmarking e engenharia reversa são comuns entre fabricantes automóveis, quando pela frente pretendem aprimorar o desenvolvimento de um novo modelo. A dúvida é precisamente essa: que modelo e de que marca? Tudo aponta para que seja um SUV eléctrico, mas com aspirações para ganhar terreno no off-road.

Recorde-se que a GM, outrora um dos gigantes da indústria automóvel mundial, tem vindo a atravessar um período de declínio tal que levou a Chevrolet a retirar-se da Europa e a Opel/Vauxhall a ser vendida à PSA. Ainda assim, a líder do grupo norte-americano sentiu necessidade de encetar um “doloroso” plano de cortes. No decurso deste ano, a GM pretende fechar sete fábricas e mandar 15% dos trabalhadores para a rua. São 18 mil pessoas que ficam sem emprego, medida que é acompanhada de um corte de 25% dos executivos. Tudo isto para, alegadamente, reduzir custos em 4 mil milhões de euros e, assim, ganhar fôlego para investir no desenvolvimento de uma nova geração de modelos eléctricos.

Face aos “apanhados” em Milford, pode estar a caminho uma versão a bateria do Cadillac XT5 ou do XT6, sendo certo que na calha está uma variante eléctrica do Escalade. De resto, até se admite que o imponente Hummer regresse, mas trocando o enorme V8 sob o capot por um conjunto puramente eléctrico.