Nicola Zingaretti, líder do Partido Democrático (PD), disse esta quarta-feira que o partido de centro-esquerda está disponível para uma coligação com o Movimento Cinco Estrelas (M5E). “Expressámos ao Presidente da República a nossa luz verde para um governo com uma nova maioria política. Comunicamos ao presidente que aceitamos a proposta do M5E no nome para presidente do Conselho [primeiro-ministro]”, referiu Nicola Zingaretti, citado pelo Corriere della Sera.

O líder do partido de centro-esquerda esteve a ser ouvido pelo Presidente de Itália, na segunda ronda de consultas para resolver a crise política, depois de na quinta-feira Sergio Mattarella ter dado aos partidos mais quatro dias para negociarem uma nova maioria. Esta possível nova coligação poderá substituir a aliança populista do M5E com a Liga (extrema-direita), de Matteo Salvini, que, a 8 de agosto, desfez a coligação.

Entretanto, Sergio Mattarella vai receber na quinta-feira de manhã o primeiro-ministro demissionário, Giuseppe Conte. O anúncio foi feito à imprensa pelo porta-voz da Presidência italiana, Goiovanni Grasso, que não deu mais detalhes, embora seja de esperar que Mattarella encarregue Conte de formar governo.

O principal obstáculo nas negociações entre estes dois partidos dizia respeito ao nome do futuro primeiro-ministro, uma vez que o M5E queria voltar a ter Giuseppe Conte, mas o PD opunha-se. O partido de Zingaretti dizia que Conte facilitou alguns dos excessos políticos de Salvini, designadamente em matéria de política de imigração, e que era necessária uma mudança. Parece, no entanto, que os centro-esquerdistas decidiram recuar e aceitar o nome de Conte.

“Não há um estafeta para perseguir e não há testemunho para receber, mas sim um novo desafio para começar”, acrescentou o líder do PD, insistindo na necessidade de se trabalhar imediatamente num programa de mudança. “Amamos Itália e acreditamos que vale a pena experimentar”, sublinhou Zingaretti, acrescentando que “em tempos complicados como os de hoje, fugir das responsabilidades da coragem de tentar é a única coisa que não podemos e não queremos permitir”. Queremos acabar com o ambiente de ódio, ressentimento e medo”, atirou.

Ambos os partidos concordam também com a redução do número de parlamentares, de quase 950 para 600 — uma “bandeira” do 5 Estrelas —, além de um programa económico com atenção aos mais desfavorecidos e uma política ambiental reforçada.

(Artigo atualizado às 20h36 com a informação de que Sergio Mattarella vai receber Giuseppe Conte esta quinta-feira)