Rádio Observador

Ténis de Mesa

Seleção feminina de ténis de mesa garante primeira medalha em Europeus

383

A seleção feminina venceu a Alemanha por 3-2. Equipa garante assim a passagem às meias-finais do Europeu, a decorrer em Nantes, França, o que lhe garante desde já uma medalha na competição.

Até agora, o melhor resultado alcançado pela equipa feminina tinha sido o oitavo lugar obtido no Europeu do Luxemburgo, em 2017

SERGEY DOLZHENKO/EPA

A seleção feminina alcançou esta sexta-feira um feito inédito na história do ténis de mesa português, ao passar às meias-finais do Europeu, a decorrer em Nantes, França, o que lhe garante desde já uma medalha na competição.

Será o primeiro grande resultado de sempre em Europeu de equipas para as lusas, vencedoras das alemãs nos quartos de final por 3-2, com uma equipa composta por Fu Yu, Jieni Shao e Rita Fins.

Até agora, o melhor resultado alcançado pela equipa feminina tinha sido o oitavo lugar obtido no Europeu do Luxemburgo, em 2017.

A tarefa é tanto mais assinalável, já que a Alemanha é vice-campeã em título e detentora de sete troféus europeus. A formação lusa (26.ª na lista europeia) precisou de três horas para levar de vencida a equipa adversária, terceira no ranking europeu.

A partida começou com Jieni Shao (37.ª da Europa) a perder por 3-1 com Ying Han (sexta), com parciais de 11-8, 15-13, 11-13 e 11-5. Fu Yu (10.ª), que ainda não perdeu qualquer encontro neste Europeu, venceu Petrissa Solja (terceira) por 3-2, com 10-12, 11-6, 11-8, 9-11 e 11-5, e relançou a partida.

Rita Fins (226.ª) foi derrotada por 3-0 por Xiaona Shan (45.ª), com 11-3, 11-2 e 11-5, e Fu Yu voltou a empatar a partida, ao vencer Nina Mittelham (12.ª) por 3-1, com 4-11, 11-8, 11-4 e 11-8.

Jieni Shao ficou com a responsabilidade de decidir o resultado do jogo e começou da pior maneira frente a Petrissa Solja, perdendo os dois primeiros ‘sets’. No entanto, a atleta lusa conseguiu recuperar e chegar ao 3-2 e garantir a primeira medalha para Portugal no ténis de mesa feminino. A sequência de sets foi de 9-11, 6-11, 11-9, 11-2 e 11-6.

“Estava nervosa antes de o jogo começar, porque a Alemanha tem uma equipa muito forte e perigosa. Por isso, comecei a disputar a partida de uma forma mais lenta, mas, quando o resultado estava em 0-2, sabia que precisava de ser mais agressiva e colocar mais velocidade no jogo”, afirmou Jieni Shao no final do jogo decisivo.

Nas meias-finais, marcadas para as 12h00 de sábado, Portugal vai defrontar o vencedor do encontro entre a Hungria e a Ucrânia, que se realiza ainda hoje.

Portugal nas meias-finais do Europeu de ténis de mesa também em masculinos

A equipa masculina de Portugal assegurou a obtenção da segunda medalha para a delegação lusa no Campeonato da Europa de equipas, que decorre em Nantes, França, ao vencer a Áustria por 3-1, nos quartos de final.

Os portugueses (sextos do ranking europeu), que não venciam a equipa austríaca (quarta) desde o Europeu do Luxemburgo 2017, conseguiram um triunfo categórico e asseguraram a passagem às meias-finais, nas quais vão defrontar a Suécia, no sábado, às 15h00.

Portugal entrou na partida a perder, com Tiago Apolónia (32.º) a não conseguir ultrapassar Robert Gardos (19.º), com quem perdeu por 3-0, com parciais de 13-11, 11-7 e 11-6.

Marcos Freitas (10.º) venceu Daniel Habesohn (16.º) por 3-1, com, 11-8, 6-11, 11-8 e 11-7, o mesmo resultado obtido por João Monteiro (67.º) frente a Stefan Fegerl (34.º), com 11-3, 11-1, 8-11 e 11-7.

Tiago Apolónia fechou o jogo, ao vencer Daniel Habesohn por 3-0 – os parciais foram de 11-6, 11-4 e 11-3.

Portugal já conquistou quatro medalhas coletivas em cinco anos — duas em Europeus (ouro em Lisboa 2014 e prata em Luxemburgo 2017) e duas em Jogos Europeus (ouro em Baku 2015 e bronze em Minsk 2019).

A Suécia, próximo adversário, ocupa a segunda posição do ranking europeu e o quinto posto da classificação mundial, sendo liderada por Mattias Falck, segundo do ranking, e Kristian Karlsson, oitavo.

A seleção sueca ficou em quinto lugar nos Europeu de 2017 e 2015 e foi medalha de bronze em Lisboa2014.

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Trabalho

Ficção coletiva, diz Nadim /premium

Laurinda Alves

Começar reuniões a horas e aprender a dizer mais coisas em menos minutos é uma estratégia que permite inverter a tendência atual para ficarmos mais tempo do que é preciso no local de trabalho.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)