“Se tivesse uma filha, ia querer que ela soubesse que está tudo bem em seres quem és e em não pedires desculpa por isso”. A frase marcou o arranque do desfile da dupla Marques’Almeida, ao início da tarde de sábado, em Londres. Como sempre, antes de vermos e falarmos de roupa, pressentimos no ar a relação de proximidade e de identificação entre quem cria, quem desfila, quem compra e quem veste. Nos últimos anos, essa relação tem sido o grande alvo de investimento para os portugueses Marta Marques e Paulo Almeida. Sem que uma única miúda do clube M’A pisasse a passerelle, as telas dispostas na sala exibiram as mensagens de várias raparigas — “Ia querer que ela crescesse a saber que é amada, que é linda e que é perfeita tal como é”, adicionou uma outra figura feminina.

Numa história que sempre foi escrita a quatro mãos, o prelúdio do desfile o cumprir de um sonho para Marta. “Era algo que queria fazer há muito tempo. Na verdade, fomos recolhendo estes vídeos durante os últimos dois anos. Agora foi um pequeno documentários de três minutos, mas espero um dia fazer um de uma hora”, admite em conversa com o Observador, minutos após o final do desfile. “Era a paixão dela, poder transmitir esta visão. E foi ela que teve a ideia de começar”, reforça Paulo.

Manequins no final do desfile © Divulgação

A apresentação arrancou, dentro de uma antiga fábrica de cerveja, em Brick Lane. Do lado de fora, estava uma cidade multitribal em alvoroço e o cheiro de todas as comidas do mundo. A dupla voltou à cidade onde pertence, depois de um ano a testar Paris e as suas peculiaridades. “Londres é como uma segunda casa. Basicamente, somos um bocadinho mal comportados e não gostamos que ninguém nos prenda a lado nenhum”, afirma Paulo. “Nos dias de hoje e como tudo está a evoluir, não faz sentido ter de estarmos presos a sistemas que, para nós, são antiquados. É um bocadinho assustador, mas preferimos estar sem regras e logo se vê o que fazemos a seguir”, completa Marta.

Nas duas últimas estações, a Marques’Almeida desfilou no calendário oficial da Semana da Moda de Paris. Um aparente salto qualitativo na carreira dos dois designers portugueses, que não veem agora o regresso a Londres, onde integram a fashion week desde 2015, como uma despromoção. Demasiado rebeldes para a capital mundial da moda? Pode ser que sejam. Afinal, o que seria da moda se toda a gente trabalhasse com passerelles brancas e como manequins a desfilar a direito? “Há que shake things up“, exclama Paulo. A opção terá sido tomada em consciência e, ao contrário de um fechar de portas, os dois continuam a vê-las bem abertas. Depois de Paris e do regresso a Londres, quem sabe se a próxima paragem não poderá ser Nova Iorque?

Detalhe nos bastidores do desfile © Dulce Daniel

Aos primeiros coordenados do desfile já havia novas ideias a pairar. Materiais acetinados e volumes incomuns para a dupla. Mais uma vez, Marta e Paulo partiram das suas M’A girls para projetarem o próximo verão. Esme Chapman é uma delas e a fotografia que publicou no Instagram desencadeou todo o processo criativo. “Parecia uma imagem de uma atriz nos velhos anos 50, em Hollywood. Aquilo eram os fifties mas, ao mesmo tempo, era um bocado estranho e grungy e punk”, explica Paulo.

As boas de plumas aplicadas aos sapatos e às malas, o rosa pastel de um Cadillac, as longas luvas de látex que algumas manequins usaram, as saias perfeitamente rodadas, muita ganga, xadrez e motivos florais — o cruzamento improvável dos dois universos resultou. “Depois, o nosso elemento tradicional, que é meter sempre um bocado de punk lá pelo meio”, completa Marta. Não faltaram, por isso, o biker jacket, as botas de combate nem o casaco acolchoado. Dizem que é um “feeling rebelde” e talvez tenha sido esse mesmo feeling a devolver Marques’Almeida à semana da moda londrina.

Detalhe nos bastidores do desfile © Dulce Daniel

No final, as modelos ficaram na sala, divididas em grupos. Oportunidade para observar um padrão peculiar, presente nas últimas peças do desfile. Chamaram-lhe print riot girl, uma espécie de colagem adolescente de fotografias das próprias raparigas. A dupla Marques’Almeida volta a apresentar a coleção em outubro, no Porto, na próxima edição do Portugal Fashion em território nacional.

Na fotogaleria, veja todos os looks do desfile de Marques’Almeida, este sábado, dia 14 de setembro, em Londres.

O Observador viajou para Londres a convite do Portugal Fashion.