Os responsáveis da SAD do Sporting vão ter várias reuniões esta terça-feira para discutir o futuro do treinador da equipa, sabe o Observador. A SAD leonina já tinha previsto estes encontros — porque Leonel Pontes é treinador interino, depois da saída de Marcel Keiser —, mas ganham pertinência depois de mais uma derrota, em casa, frente ao Famalicão (1-2).

Se a SAD do Sporting decidir dispensar Leonel Pontes ou atribuir-lhe outras funções no Sporting, a preferência vai para um treinador português, que conheça o campeonato e o clube. Os responsáveis do Sporting entendem que não há margem de manobra para esperar que um treinador estrangeiro se adaptasse e conhecesse melhor a realidade portuguesa, num momento em que o Sporting ocupa o sétimo lugar no campeonato, a sete pontos de Porto e Benfica e a oito do líder — o surpreendente Famalicão.

Entre as alternativas, os favoritos eram Leonardo Jardim, treinador do Mónaco, e Vítor Pereira, antigo treinador do Porto (que disputa a liderança do campeonato chinês), mas são considerados sonhos impossíveis.

A SAD do Sporting aponta, neste momento, para treinadores portugueses que estejam livres ou que tenham cláusula de rescisão acessível, para que que possam assumir de imediato as rédeas da equipa.

Se, em última análise, a escolha acabar por recair sobre um treinador estrangeiro, a imprensa espanhola tem apontado três possibilidades: Heitor Karanka, antigo adjunto do Real Madrid, que tem feito carreira no Championship inglês; Quique Setién, que deliciou os adeptos do Bétis; e Eusebio, antigo jogador e adjunto do Barcelona, que no ano passado treinou o Girona, também na liga espanhola.

Tendo em conta o calendário apertado — com jogo da Taça da Liga já na próxima quinta-feira, em Alvalade, contra o Rio Ave — é pouco provável que seja anunciada uma decisão ao longo do dia de hoje. Leonel Pontes orienta o treino esta terça-feira, segundo o Record.

O jogo desta segunda-feira adensou as dúvidas sobre o momento da equipa, com o Famalicão a dominar por completo na segunda parte. E a relação com os adeptos conhece momentos difíceis. Leonel Pontes viu lenços brancos na bancada, ouviu assobios durante a substituição de Vietto e, no final, alguns adeptos de claques do Sporting que estavam junto dos habituais espaços de convívio no recinto do clube tentaram invadir a garagem para pedirem satisfações aos jogadores. Voltou a sentir-se ainda a contestação ao presidente Frederico Varandas, sobretudo por parte das claques.

Desde que assumiu a liderança da equipa principal, Leonel Pontes ainda não conseguiu vencer — antes de ter perdido esta segunda-feira com o Famalicão, empatou com o Boavista, no Bessa, e perdeu com o PSV, em Eindhoven, para a Liga Europa.

O registo de maus resultados do Sporting é, no entanto, bem mais largo na época, se juntarmos os cinco jogos oficiais em que Marcel Keiser ainda era treinador dos leões. No total, em oito jogos, o Sporting venceu apenas dois (contra o Braga, em casa, e Portimonense, fora), empatou outros dois (contra o Marítimo e Boavista) e perdeu quatro vezes (Benfica, na Supertaça; Rio Ave, em casa; e, já com Leonel Pontes, PSV e Famalicão). A isto junta-se ainda uma pré-época com Keiser em que o Sporting não conseguiu vencer nenhum dos jogos.