O presidente do Benfica, Luís Filipe Vieira, destacou esta sexta-feira a “recuperação de capitais próprios positivos no clube e SAD” pela primeira vez desde 1997, apelidando a Assembleia-Geral (AG) do clube de “histórica”.

“A Assembleia-Geral de hoje do nosso Benfica é histórica. Histórica, porque hoje celebramos finalmente a recuperação patrimonial do nosso clube”, começou por dizer Vieira, no discurso dirigido aos sócios benfiquistas, durante a AG do clube, na qual foi votado o Relatório e Contas da época 2018/19, que inclui um resultado positivo de 29,4 milhões de euros (ME).

Além de salientar que o Benfica apresenta contas positivas pelo sexto ano consecutivo, o líder do clube da Luz concretizou a ideia de este ser um momento histórico: “Pela primeira vez desde 1997, e tal como prometi, conseguimos atingir a recuperação de capitais próprios positivos no clube e na SAD.”

“Os proveitos do Grupo SLB ultrapassaram os 300 ME e, só nestes últimos quatro anos, pagámos 250 milhões de euros de dívida aos bancos, tornando essas dívidas bancárias residuais, o que nos torna totalmente livres e independentes na tomada de decisões”, reforçou.

Se a vontade de aumentar a capacidade do Estádio da Luz já tinha sido anunciada, Luís Filipe Vieira revelou esta sexta-feira aos sócios que os ‘encarnados’ vão “proceder à modernização de diversas áreas e equipamentos”, destacando a “substituição dos écrãs gigantes” do recinto.

No que diz respeito à equipa principal de futebol, o presidente do Benfica enalteceu a goleada ao Sporting (5-0), que permitiu a conquista da Supertaça Cândido de Oliveira, ressalvando, contudo, “que importa é como acaba [a época] e não como começa”.

“Está tudo em aberto. Temos um plantel que, estou certo, estará à altura das exigências. O passado já nos deu muitos exemplos de avaliações precipitadas sobre contratações, que o tempo veio a dar razão à qualidade que tínhamos visto nos jogadores”, transmitiu.