457kWh poupados com o Logótipo da MEO Energia Logótipo da MEO Energia
i

A opção Dark Mode permite-lhe poupar até 30% de bateria.

Reduza a sua pegada ecológica.
Saiba mais

Logótipo da MEO Energia

Adere à Fibra do MEO com a máxima velocidade desde 29.99/mês aqui.

Polícia procura homem de 68 anos que desapareceu de lar no Cadaval

Este artigo tem mais de 2 anos

Óscar Veiga foi visto pela última vez na terça-feira às 18h. Fugiu do lar Campus Social do Olival, no Cadaval. Sofre de Alzheimer e demência. Usava calças cinzentas e casaco bordô quando desapareceu.

Óscar Veiga tem 68 anos e reside no Campus Social do Olival, em Lisboa
i

Óscar Veiga tem 68 anos e reside no Campus Social do Olival, em Lisboa

Facebook

Óscar Veiga tem 68 anos e reside no Campus Social do Olival, em Lisboa

Facebook

Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Um homem de 68 anos está a ser procurado pelas autoridades depois de ter fugido do lar Campus Social do Olival, em Lisboa. Óscar Veiga está desaparecido desde a noite de terça-feira e sofre de doença de Alzheimer e demência grave. Numa publicação partilhada pela família nas redes sociais, o homem pode estar desorientado, mas pode ter andado “alguns quilómetros” desde o local do desaparecimento.

Óscar Veiga foi visto pela última vez na Murteira, uma localidade na freguesia de Lamas, concelho do Cadaval em Lisboa. Contactada pelo Observador a família acrescenta que o homem usava “um fato de treino” composto por “uma calça cinzenta, um casaco bordô, sapatilhas azuis” e “estava sem óculos” no momento em que desapareceu no lar.

Nelson Furtado, o genro de Óscar Veiga, acrescentou ainda que o homem terá saído do lar por volta das 18h de terça-feira, ainda antes de jantar. Estão disponíveis dois números de telemóvel — +351 917 566 253 ou +351 967 853 610 — para quem tenha pistas sobre o paradeiro de Óscar Veiga e queira contactar a família. As autoridades também estão em busca do homem.

Numa publicação feita no Facebook, a Associação Murteirense de Cultura, Desporto e Solidariedade Social — a que pertence o lar — pediu auxílio nas buscas por Óscar Veiga, que terá saído das instalações “pelo seu próprio meio”: “É um senhor de origem cabo verdiana, com diagnóstico demencial“, descreveu a associação no texto colocado esta quarta-feira nas redes sociais.

Em atualização

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

A página está a demorar muito tempo.

Ofereça este artigo a um amigo

Enquanto assinante, tem para partilhar este mês.

A enviar artigo...

Artigo oferecido com sucesso

Ainda tem para partilhar este mês.

O seu amigo vai receber, nos próximos minutos, um e-mail com uma ligação para ler este artigo gratuitamente.

Ofereça artigos por mês ao ser assinante do Observador

Partilhe os seus artigos preferidos com os seus amigos.
Quem recebe só precisa de iniciar a sessão na conta Observador e poderá ler o artigo, mesmo que não seja assinante.

Este artigo foi-lhe oferecido pelo nosso assinante . Assine o Observador hoje, e tenha acesso ilimitado a todo o nosso conteúdo. Veja aqui as suas opções.

Atingiu o limite de artigos que pode oferecer

Já ofereceu artigos este mês.
A partir de 1 de poderá oferecer mais artigos aos seus amigos.

Aconteceu um erro

Por favor tente mais tarde.

Atenção

Este artigo só pode ser lido por um utilizador registado com o mesmo endereço de email que recebeu esta oferta.
Para conseguir ler o artigo inicie sessão com o endereço de email correto.