O advogado que representa o denunciante que escreveu a queixa onde Donald Trump é acusado de chantagear a Ucrânia em troca de ajuda contra um rival político avançou este domingo que há uma segunda testemunha da chamada do Presidente dos EUA que já reportou o caso ao inspetor-geral dos EUA.

Este novo denunciante diz ter testemunhado presencialmente algumas das alegações que são atribuídas a Donald Trump no queixa do primeiro denunciante, que eleborou aquele relatório baseando-se nos relatos de várias fontes dentro da Casa Branca e não esteve presente durante os casos que elenca.

A notícia foi dada à ABC News por Mark Zaid, advogado que reprentou até agora o primeiro denunciante e que agora tem o segundo também como seu cliente. Ambos os denunciantes permanecem anónimos — apesar de o The New York Times ter escrito que o primeiro denunciante é um funcionário da CIA especializado na Ucrânia e que foi destacado para a Casa Branca durante um período que já terá terminado.

É possível que o segundo denunciante seja uma entre “mais de meia dúzia de pessoas” que, de acordo com o que o primeiro denunciante escreveu na queixa que apresentou contra Donald Trump, terão testemunhado em in loco os atos descritos naquele documento.

Esta sexta-feira, o The New York Times já tinha escrito que um segundo denunciante se preparava para apresentar uma queixa formal contra Donald Trump a propósito do caso com a Ucrânia. Porém, à ABC News, o advogado Mark Zaid não confirmou se o segundo denunciante de que agora se sabe é a mesma pessoa que referia o The New York Times.