O PSD obteve os resultados mais elevados — Boticas, Calheta e Sernancelhe — nos concelhos onde a percentagem de população com mais de 65 anos supera a média nacional, mas o ganho médio mensal é inferior, segundo o portal de dados estatísticos EyeData, disponível em www.lusa.pt.

Neste portal, os resultados eleitorais de cada partido são divididos em três, permitindo ver qual o terço dos concelhos em que cada partido obteve os melhores resultados, os piores resultados e o resultado médio. Depois, no mesmo portal é possível cruzar esse resultado com um vasto conjunto de variáveis económicas e sociais que permitem caracterizar, em termos médios, como são os concelhos onde os partidos tiveram melhores ou piores resultados.

No caso do PSD é possível verificar o seguinte:

Ambiente

Os concelhos em que o PSD obteve este domingo uma votação mais elevada apresentam, em média, uma área ardida equivalente a 10,22%, valor que supera a média de 6,06% de área ardida a nível nacional em 2017.

O PSD obteve ainda os seus resultados eleitorais mais altos nos municípios onde o consumo de eletricidade por habitante e o volume de resíduos urbanos recolhidos por habitante são, em ambos os casos, inferiores à média nacional em 15% e 11,2%, respetivamente.

Demografia

Em 2018, os estrangeiros a residir legalmente em Portugal representavam 2,18% do total dos residentes nos concelhos onde o PSD obteve resultados mais elevados nestas eleições legislativas, valor que corresponde a menos de metade dos 4,64% a nível nacional.

Em média, em Portugal o número de filhos por mulher e a percentagem de nascimentos fora do casamento é de, respetivamente, 1,42 e 55,87%, mas nos concelhos onde o partido liderado por Rui Rio obteve os seus resultados mais elevados, o número médio de filhos por mulher é de 1,23 e os nascimentos fora do casamento correspondem a 48,43%, estando ambos abaixo da média nacional.

Os dados mostram ainda que o PSD conseguiu resultados mais elevados nos municípios com população mais idosa, uma vez que 22,83% da população local tinha, em 2018, 65 ou mais anos, quando a média nacional para esta faixa etária era de 21,67%. Inversamente, a percentagem de jovens com 15 ou menos anos residente nestes concelhos é inferior à média nacional: 12,32% contra 13,77%.

Economia e trabalho

Em 2016, o ganho médio mensal dos trabalhadores por conta de outrem era de 1.108,56 euros, mas nos concelhos onde o PSD registou resultados mais elevados este ganho médio era de 982,14 euros. Inferior à média nacional nestes concelhos é também o poder de compra per capita, com uma diferença de 12,0%.

Nestes concelhos o número de funcionários da administração pública local é de 11,49 por cada 1.000, valor ligeiramente inferior à média de 11,62 no total nacional.

Os dados indicam ainda que o Partido Social Democrata obteve resultados mais altos nos concelhos onde o volume de negócios de empresas não financeiras dos setores terciário (comércio e serviços) e secundário (indústria) é inferior à média nacional, mas onde as empresas do setor primário (agricultura, pescas e pecuária) apresentam um volume de negócios superior ao da média registada no conjunto do país.

Nestes concelhos, a percentagem de desempregados inscritos em centros de emprego face à população residente é de 5,85%, ligeiramente mais elevada do que os 5,54% registados no país.

Educação

Nestas eleições, o PSD registou votações mais elevadas em municípios que dispõem de um número de estabelecimentos dos ensinos não superior, secundário, básico e pré-escolar por cada 10 mil habitantes mais elevado do que a média nacional. Por outro lado, a taxa de retenção no ensino básico é de 3,98% contra a média de 5,10% no total do país.

Ao mesmo tempo, a fatia da população com 15 ou mais anos de idade e com pelo menos o ensino secundário é, nestes concelhos, de 25,32%, ou seja, inferior à média nacional que é de 30,53%.

Sociedade

Os resultados destas eleições mostram ainda que o PSD teve uma votação mais alta nos concelhos em que a população estrangeira que solicitou estatuto de residente (em percentagem do total da população residente) ostenta um valor médio (0,47%) equivalente a quase metade da média nacional (que é de 0,91%).

Nestes concelhos, há, em média, 4,81 médicos por cada 1.000 habitantes, contra uma média de 5,22 médicos a nível nacional.