A Autocar avança que o responsável máximo pelos Veículos Eléctricos no Grupo Renault, Gilles Normand, confirma que o City K-ZE servirá de base para lançar um eléctrico barato na Europa. De acordo com a referida publicação, vem aí “uma versão especial” do crossover a bateria cujos preços, na China, se iniciam nos 8.000€.

A Renault não entra em mais detalhes, preferindo centrar-se no facto de uma variante do K-ZE adaptada à Europa, nomeadamente no que respeita ao equipamento de segurança, lhe permitir baixar a porta de acesso à sua gama de modelos zero emissões, que neste momento tem no Zoe a via de entrada.

Não é evidente qual o emblema que o pequeno SUV do segmento A exibirá na sua actualização europeia, com Normand a escusar-se a comentar se seria Dacia. Mas também não negou. E a realidade é que o eléctrico chinês assentaria que nem uma luva no portefólio do fabricante romeno, pois alia um preço de arromba a uma estética tipo SUV.

Certo é que o K-ZE foi sempre assumido como um modelo de aspirações globais e custos contidos. Razão pela qual a produção se cingirá exclusivamente à fábrica de Shiyan, na China. E é também para ser proposto por um preço interessante que o crossover eléctrico tem uma autonomia acanhada.

Dotado de uma bateria com 26,8 kWh de capacidade e um motor de 33 kW (45 cv), o crossover eléctrico anuncia 250 km de autonomia em NEDC, ou seja, garantidamente abaixo dos 200 km em WLTP. Incrementar o alcance obrigaria a agravar o preço e não parece ser essa a pretensão de Normand, que desvaloriza a questão da autonomia com o argumento de que esta proposta visa uma utilização eminentemente urbana. Já o vice-presidente de Vendas da Renault, Olivier Murguet, tem outra perspectiva acerca do K-ZE, antevendo-lhe mesmo um enorme sucesso no car-sharing.