O presidente dos Estados Unidos da América (EUA), Donald Trump, foi vaiado durante o quinto jogo da grande final do baseball da World Series, entre os Washington Nationals e os Houston Astros. “Prendam-no!” [“Lock him up!“], gritaram os adeptos, numa referência ao grito que marcou a campanha presidencial de Trump, dirigido a Hillary Clinton [“Lock her up!“].

A vaia aconteceu quando um ecrã gigante projetou a imagem de Donald Trump, no estádio de baseball dos Washington Nationals. Mas esta reação não é inédita. Também os ex-presidentes norte-americanos Jimmy Carter, Ronald Reagan, Richard Nixon e George W. Bush pai e filho foram vaiados em jogos de baseball.

Alguns adeptos mostraram faixas a apelar à destituição [impeachment] de Trump. As imagens foram publicadas por vários utilizadores no Twitter.

Trump fez-se acompanhar pela mulher, Melania Trump, e de congressistas republicanos. O presidente dos EUA saiu antes do fim do jogo, mas não é certo que o tenha feito devido aos protestos dos adeptos.

A tradição dita que quando um presidente dos EUA assiste ao vivo a jogos de baseball importantes, faça o lançamento de abertura, mas desta vez Trump não o fez. Na sexta-feira, o governante brincou com a situação, ao dizer que, para que isso acontecesse, teria de vestir um colete à prova de bala, o que complicaria a tarefa. “Não sei. Têm de me vestir com armadura pesada. Vou parecer muito pesado. Não gosto disso”, disse, citado pelo The Guardian.

O episódio em que Donald Trump é vaiado aconteceu horas depois de o presidente da República ter anunciado a morte de Abu Bakr al-Baghdadi, líder do Daesh, num raid cirúrgico feito por forças dos EUA, no nordeste da Síria.